sábado, 30 de junho de 2012

Escala de arbitros da segunda rodada da A2 PE


Águia definido para enfrentar Fortaleza


A delegação do Águia de Marabá embarcou na tarde deste sábado (30) rumo ao Ceará. O Azulão entra em campo neste domingo (1º) contra o Fortaleza, às 17 horas, no estádio Presidente Vargas.

O técnico João Galvão definiu o time titular no treino coletivo desta sexta-feira (29), no estádio Zinho Oliveira. A formação contou com Marcelo Cruz; Ivonaldo, Carlão, Bernardo e Mocajuba; Diogo, Analdo, Marabá e Juliano; Wando e Valdanes. Durante todo o período de preparação para o Campeonato Brasileiro da Série C, Galvão trabalhou a equipe em dois sistemas: 4-4-2 e 3-5-2. Outra formação utilizada foi 4-3-3.
O time de Marabá terá dois desfalques para a partida contra o Leão do Pici. O zagueiro Roberto e o meio-campo Flamel, que estão entregues ao departamento médico do clube e só poderão atuar na segunda rodada da Série C, quando o Águia enfrenta o Cuiabá-MT, no próximo sábado (7), no estádio Zinho Oliveira.

(Fábio Relvas/DOL)

Presidente do Guarany ironiza com o Santa, "O objetivo é perder de pouco"

Conhecido por dar declarações polêmicas e ácidas, o presidente do Guarany de Sobral, Luiz Torquato, resolveu novamente abrir o bocão. Falou com ironia sobre o jogo contra o Santa Cruz, domingo, no estádio do Arruda - válido pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro da Série C. 

Há dois anos, quando os Tricolores foram eliminados da Quarta Divisão pelo próprio Guarany, o mandatário do time cearense disparou: "O Santa Cruz está morto". A declaração, no entanto, foi dada após a vitória dos corais, no Recife, por 4 a 3. Mas parecia que o cartola estava profetizando a eliminação dos pernambucanos. No duelo de volta, triunfo do Cacique do Vale por 2 a 0. O Santa estava, realmente, morto - como havia profetizado Torquato.



Desta vez, o presidente do clube sobralense resolveu adotar o discurso contrário. Com uma pitada de ironia (e má educação), deu a entender que o Guarany não tem chances de vencer o Mais Querido dentro do José do Rêgo Maciel. "O objetivo é perder de pouco aí. Como você acha que vamos ganhar com o Arruda lotado com 80 mil pessoas assistindo?", perguntou o presidente. 

"Não tem como está confiante para jogar contra o Santa Cruz. Todo mundo teme o Santa Cruz. Vai sair daqui de Sobral um bocado de matuto para jogar num estádio lotado. Sem condições", complementou, alfinetando os tricolores (ou dando um "tiro no pé" da sua própria equipe).


Yuri de Lira - Diario de Pernambuco

Vitória vence Avaí e marca presença no G-4



Um placar imprevisível, dado os rumos da partida, mas excelente para o rubro-negro baiano. Com dois gols no segundo tempo, o Vitória mostrou que não se abateu com a última derrota, quando permitiu uma virada fora de casa vencendo por 3 a 0,  e selou a sua presença no G-4 da Série B, na tarde deste sábado, 30.  
Com o placar de 2 a 0, por meio dos gols de Pedro Ken e Mineiro, o Vitória chega aos 16 pontos e se distancia da quinta colocação, ocupada pelo São Caetano, que tem 12 pontos. Com a derrota, o Avaí caiu para nona posição, com 11 pontos.
O Leão, que jogou no Barradão, volta à campo no próximo sábado, 7, quando enfrentará a equipe do ABC, às 16h20, no Estádio Frasqueirão, em Natal. Já o próximo jogo do Avaí será na próxima sexta-feira, 6, no Estádio Ressacada, às 21h, contra o Asa.
Primeiro tempo - O jogo foi marcado pelo protagonismo parcial de ambas as equipes, nos primeiros 35 minutos, e pela perfomance apática dos jogadores no tempo restante.
O torcedor do Leão pôde ver, nos primeiros momentos da partida, um Vitória motivado e com um ataque explosivo. Logo aos seis minutos, por exemplo, Neto Baiano já testava o goleiro do Avaí, sob a angulação de Marquinhos. Diego precisou de 'ginga' para fazer a primeira defesa do jogo.
Não demorou muito para o Nino Paraíba também assutar o time adversário. Após jogada individual, aos 10 minutos, o jogador driblou os zagueiros e chutou para o gol , mas a bola foi para fora. O Leão continuou pressionando, quando o Avaí  mostrou que o jogo não seria tão fácil como parecia.
Em falha da zaga do Leão, aos 21 minutos, Cássio quase abriu o placar para o Avaí de cara o goleiro. Por sorte, a bola foi para fora. No minuto seguinte, em jogada individual, foi a vez de Acosta assustar o goleiro do Leão, mas também acabou chutando para fora.
Após tantos lances de risco, o que restou foi apatia de ambos os times. A partir dos 35 minutos de jogo, Vitória e Avaí criaram poucas oportunidades de gol.  A partida acabou como começou: 0 a 0.
Segunda etapa - Assim como no primeiro tempo, o Vitória começou melhor a partida.  Logo aos dois minutos, por exemplo, Diego salvou o Avaí, após Leandro Silva quase fazer gol contra, sob a pressão do Leão.
Marco Aurélio, que entrou no segundo tempo, chegou assutando o Avaí, e aos 10 minutos, foi impedido de cara com o goleiro, em clara chance de gol. A pressão do Leão não demorou muito para esfriar. Aos 26 minutos, por exemplo, Uellinton afastou perigo após escanteio perigoso do Avaí.
Quando o time catarinense começou a ensaiar lances de risco, Pedro Ken pegou sobra de Neto Baiano, aos 29 minutos, e abriu o placar no Barradão. O placar favorável ao time baiano, entretanto, não paralisou a equipe rival.
O Avaí começou a pressionar e, como é de se esperar de um time que está perdendo, correu atrás do empate. Em muitos lances, o goleiro Douglas foi decisivo para que isso não ocorresse.
Mesmo sob pressão, o Vitória mostrou sua força dentro de casa, onde permance invicto em 2012. Aos 44 minutos, em jogada individual, Mineiro aproveitou a falha da zaga do Avai e selou o placar para no Estádio Barradão: 2 a 0 para o rubro-negro.
Vitória 2 x 0 Avaí - 8ª rodada da Série B 2012:
Local: Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador (BA) 
Data: Sábado, 30 de junho. 
Horário: 16h20. 
Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza (SP-CBF). 
Assistentes: Herman Brumel Vani (SP-CBF) e Celso Barbosa de Oliveira (SP-CBF).
Vitória: Douglas; Nino Paraíba, Victor Ramos, Rodrigo Costa (Gabriel) e Mansur; Uelliton, Rodrigo Mancha, Pedro Ken e Tartá (Marco Aurélio); Neto Baiano e Marquinhos. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Avaí: Diego, Arlan (Jefferson), Cássio, Leandro Sillva e Aelson; Marcinho Gerreiro, Diogo Orlando (Evando), Patrick e Kleber Santana; Diogo Acosta e Felipe Alves (Laércio). Técnico: Hemerson Maria.
Cartões amarelos: Cléber Santana, Rodrigo Mancha, Nino Paraíba, Diogo Orlando, Neto Baiano, Marquinhos, Patrick
Cartões Vermelhos: Marcinho Guerreiro

A TARDE

Ataque do Náutico para em Diego Cavalieri e perde para o Fluminense



Yanna Cavalcanti/Photocamera
Samuel parte para comemorar o primeiro gol da vitória após falha da zaga do Náutico
Não foi apenas uma derrota nos Aflitos. Contra o Fluminense, o Náutico recebeu uma dura lição. Sem poder contar com o atacante Araújo por questões contratuais (ele é atleta da equipe carioca), o Timbu desperdiçou cinco chances claras de gol e pagou muito caro por isso. Apesar de ter feito uma das melhores partidas da temporada, a derrota por 2 a 0 acionou o alerta em Rosa e Silva. O próximo compromisso dos alvirrubros é contra o Atlético-GO.

Dono de um dos melhores elencos do futebol nacional, o Fluminense chegou ao Recife sem algumas de suas principais peças. Sem Fred, Rafael Moura e Rafael Sóbis - lesionados - os cariocas sentiram a pressão de jogar nos Aflitos. Ainda que não pudessem contar com seu artilheiro, os alvirrubros pressionavam a saída de bola adversária, criando boas oportunidades em chutes de fora da área. Além disso, a marcação timbu estava bem encaixada, dificultando a vida de Deco, responsável pela criação das jogadas da equipe tricolor.
Depois de testar Diego Cavalieri com alguns chutes de longe, o Náutico esteve muito perto do primeiro gol num lance de contra-ataque aos 12 minutos. Depois de interceptar um passe na esquerda, Alessandro lançou Souza, que entrou cara a cara com o goleiro rival. Mas o camisa 10 bateu mal na bola, facilitando a defesa. O Náutico era senhor do jogo. Mas como no futebol, a justiça nem sempre se faz presente, foi o Fluminense quem saiu na frente.

O lance do gol teve início numa falta perto do círculo central, aos 30 minutos. Ciente das dificuldades que tinha para criar boas chances com a bola rolando, Deco tratou de aproveitar a cobrança, apesar da distância. Depois de orientar os companheiros, o meia deu uma excelente assistência para Samuel, substituto de Fred, que desviou de cabeça no primeiro pau, vencendo Felipe. Apesar do abatimento que recaiu sobre o time, o Náutico esteve muito próximo do empate. Em duas oportunidades claríssimas, Souza esbarrou em defesas arrojadas de Cavalieri.

O Náutico voltou do intervalo disposto a recuperar-se o quanto antes. No primeiro lance, Martinez teve espaço e bateu firme, encontrando um Cavalieri bem posicionado. Em seguida, o zagueiro Anderson tinha a bola dominada, mas cochilou e perdeu a posse para Kim dentro da grande área. O atacante alvirrubro teve tempo para dominar, mas chutou em cima de Cavalieri. Kim perderia outra grande oportunidade aos seis minutos. Em bola trabalhada pela ofensiva alvirrubra, Lúcio cruzou no segundo pau, na cabeça de Kim, que mandou a bola pela linha de fundo.

Num ritmo mais lento do observado naquela blitz inicial, os alvirrubros seguiram tomando as iniciativas ofensivas, dominando as ações entre as intermediárias. Mas o gol teimava em não sair. Quando o Fluminense começava dar indícios de que administraria a vantagem mínima, o futebol deu mais uma lição aos alvirrubros: na Série A, os gols perdidos custam muito caro. Numa bela enfiada de Deco, Jean bateu cruzado, obrigando Felipe a praticar uma grande defesa. No rebote, Samuel deixou sua marca novamente, empurrando para o fundo do gol e definindo o confronto.

Náutico 0Felipe; Alessandro, Márcio Rosário, Ronaldo Alves e Lúcio; Derley, Elicarlos, Martinez e Souza (Cléverson); Rhayner e Kim (Romero). Técnico: Alexandre Gallo.

Fluminense 2Diego Cavalieri; Bruno (Wallace), Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, Deco (Thiago Neves) e Wagner (Valencia); Wellington Nem e Samuel. Técnico: Abel Braga.

Local: Aflitos.
Árbitro: Evandro Rogério Ramon (Fifa-PR).
Assistentes: Alessandro Rocha Matos (Fifa-BA) e Pedro Santos de Araújo (AL).
Gols: Samuel (duas vezes) (F).
Cartões amarelos: Martinez, Lúcio (N), Deco e Jean (F)
Público: 14.401

Celso Ishigami - Diario de Pernambuco

Jogo do Araguaína e Santos é transferido para o dia 25

De acordo com site da CBF a partida entre Araguaína x Santos (AP), pela segunda rodada do Brasileiro da Série D sai do dia 2 de julho e passa para o dia 25 de julho. 

O clube do Amapá teve dificuldades para realizar a viagem até Araguaína. O Tourão do Norte deveria jogar no Mirandão nesta segunda-feira contra o Santos (AP).

O Santos recebe o Sampaio ndia 9, enquanto que o Araguaína so vai jogar contra o Mixto ndia 16 em casa.

Vila Nova goleia em jogo da Série C


O Vila Nova goleia o Oeste em seu primeiro jogo pela Série C do Campeonato Brasileiro. O O Tigrão foi liderado pelo técnico Robélio Schneiger, irmão de Roberto Cavalo, ex-técnico colorado e atual do rival deste sábado.
Os clubes empataram logo no início do primeiro tempo. O colorado Evandro foi o primeiro a abrir o placar depois de tomar bola de Marcelinho. Minutos depois, o rubronegro Thiago Chulapa manda de bico no canto esquerdo do goleiro júlio César e empata.
Já no segundo tempo, Pedro Júnior não perdoou e balançou a rede do Oeste duas vezes. No primeiro gol, aos 12 minutos, craque aproveitou passe de Evandro e desempatou o placar. O segundo gol veio cinco minutos depois.
Aos 46 minutos, Ricardinho faz gol de cobertura e aumenta o placar para o Vila Nova. O duelo de irmãos foi confirmado na última quinta-feira (28), após um mês de brigas jurídicas e indefinições, que atrasou o início dos jogos da Série C.

Chapecoense perde pênalti e fica no empate com Santo André



Na tarde deste sábado, a Chapecoense estreou na Série C com empate em 0 x 0 contra o Santo André, em Araras, no interior de São Paulo.
Após um bom início do Santo André, a Chapecoense dominou a partida quase por completo, com destaque para as jogadas individuais proporcionadas por Athos e Lê.

A melhor chance do Santo André na partida foi efetuada por Junaí, que havia entrado na segunda etapa. Após lançamento na área, Junaí efetuou uma linda bicicleta, que por muito pouco foi para fora.

Por outro lado, a melhor oportunidade da Chapecoense na partida ocorreu nos acréscimos. Após Marcelo, do Santo André, tocar com a mão na bola dentro da área, Athos cobrou a penalidade e Bonan defendeu. Posteriormente, o juiz encerrou a partida.

A Chapecoense retorna a campo no próximo domingo para enfrentar o Vila Nova, na Arena Condá. O Santo André irá enfrentar o Brasiliense, na Boca do Jacaré.


jogo


A primeira etapa iniciou com muito equilíbrio, a Chapecoense efetuando marcação forte ao Santo André. Aos 14 minutos, Lê fez uma boa jogada individual dentro da área chutou cruzado e Thuram não conseguiu alcançar a bola.

Aos 17 minutos, após boa jogada iniciada novamente por Lê a bola sobrou para Dudu, que chutou forte assustando o goleiro Bonan. Aos 25 minutos, Batata cometeu falta forte em Athos e tomou o primeiro cartão amarelo da partida.

O Santo André melhorou na partida, mas esbarrou no sistema defensivo da Chapecoense. Através de Athos e Lê, a
Chapecoense criou suas melhores oportunidades, mas também não conseguiu alterar o placar, que encerrou na primeira etapa em 0 x 0.

Segundo tempo


Aos 3 minutos, Athos fez uma grande jogada individual, tocou para Wanderson que chutou forte, mas o zagueiro chegou travando impedindo o primeiro gol da partida.

Aos 15 minutos, em mais uma boa jogada de Athos, a bola sobrou para Thuram que perdeu uma chance incrível de abrir o placar com a meta aberta, praticamente recuando a bola para Bonan.

Aos 25 minutos, Dudu Figueiredo que havia acabado de entrar na partida fez uma bela jogada, chutou cruzado, mas a bola passou na frente de Thuram e Lê, que não conseguiram completar a jogada. Aos 27 minutos, Athos entrou livre dentro da área, tirou do goleiro Bonan, mas a bola acabou saindo.

Aos 31 minutos, após cruzamento na área o Santo André perdeu a sua melhor oportunidade na partida. Junaí efetuou uma bicicleta e a bola saiu por muito pouco, indefensável para o goleiro Rodolpho.

Aos 46 minutos, Marcelo, do Santo André, tocou com a mão dentro da área e consequentemente foi expulso da partida. Na sequência,

Marcelo foi expulso da partida. Na sequência, Athos cobrou o pênalti e perdeu a chance da vitória da Chapecoense.
Posteriormente, o juiz encerrou a partida, com a Chapecoense estreando na Série C com empate em 0 x 0, fora de casa.


Ficha Técnica: Santo André 0 x 0 Chapecoense


Data: 30/06/2012 (Sábado)
Local: Estádio Hermínio Ometto, em Araras (SP)
Horário: 15:30h (de Brasília)
Arbitragem: Antonio Denival de Morais (PR), auxiliado por Bruno Boschilla (PR) e Luciano Roggenbaun (PR)
Público:126 pagantes
Renda: R$ 1.005,00
Cartões amarelos: Batata, Luiz Paulo e Junaí (Santo André); William (Chapecoense)
Cartões vermelhos:Marcelo (Santo André)
Gols:

Santo André
Bonan; Alex, Junior Paulista, Luiz Paulo e Raul (Marcelo); Claudio Brito, Batata, Bady e Djalma (Junaí); Fabio Santos e Caihame (Vinicius Ramos).
Técnico: Claudemir Peixoto

Chapecoense
Rodolpho; Chicão, Leonardo e Souza; Wanderson, Dudu, Athos, Nenem (Dudu Figueiredo) e William (Esquerdinha); Thuram (Cristiano) e Lê.
Técnico: Itamar Schulle                                                                                                                   SIDNEI BATISTA  FUTEBOL SC




Madureira vence a 1.ª na Série C


O Madureira começou com o pé-direito sua caminhada no Campeonato Brasileiro da Série C. Na tarde deste sábado, no Estádio Aniceto Moscoso, venceu o Brasiliense, por 1 a 0, na primeira rodada dacompetição. Mesmo não atuando muito bem, o Tricolor conseguiu seu gol numa bola parada e depois mostrou a força do seu setor defensivo.

Já o Brasiliense, de Luiz Carlos Barbieri, dominou o jogo, tentou de todas as maneiras, mas não furou o paredão de Márcio, que salvou o Madureira. Ostimes voltam ao gramado no próximo domingo, quando o Jacaré enfrenta o Santo André, no Distrito Federal, enquanto, o Tricolor faz o clássico carioca contra o Duque de Caxias, no mesmo dia e horário.


Festa Tricolor!

Mesmo fora de casa, o Brasiliense começou o jogo melhor e criou as melhores chances, sempre em chutes de fora da área. Aos 16 minutos, Walter Minhoca bateu, tirando tinta do travessão de Márcio, que só acompanhou com os olhos. Fechado e apostando nos contra-ataques, aos 27 minutos, o Tricolor fez o primeiro gol.

Diego Renan fez boa jogada, foi até a linha de fundo e cruzou na medida para Bruno Luiz, que subiu mais que todo mundo e testou para as redes de Welder, que nada fez. O gol deixou o Jacaré nervoso, que passou a errar muitos passes e ser envolvido pelo Madureira, que cresceu no jogo.
No final, o Jacaré melhorou em campo foi para cima em busca do gol de empate, mas parou nas boas defesas do goleiro Márcio. Já o Madureira aproveitou a vantagem, se fechou e apostou nos contra-ataques, principalmente, nas bolas alçadas na área para Bruno Luiz, que estava numa tarde inspirada e chegava com perigo.

Pressão e nada!

O segundo tempo começou fraco tecnicamente, muito preso no meio-campo, sem grandes jogadas de perigo, melhor para o Madureira, que prendia o jogo, já que vencia a partida e comemorava os três primeiros pontos. O técnico Luiz Carlos Barbieri mudou sua equipe, com a entrada do experiente Baiano na vaga de Walter Minhoca, mas o lateral não estava numa tarde feliz e errava muitos cruzamentos, sua melhor jogada.

No contra-ataque, o Madureira quase fez o segundo gol. APós cruzamento, Bruno Luiz bateu de primeira a defesa do Jacaré afastou, a bola sobrou no rebote para ele, que chutou. Mas, em cima da linha, Leandro Camilo conseguiu impedir o segundo do Tricolor, que no momento, poderia matar o jogo.

No final, o Brasiliense foi com tudo para cima buscando o gol de empate. Barbieri colocou três atacantes em campo, com Acosta, André Luiz e Jandson. Mas, mesmo assim, o Jacaré não furou o bloqueio do Tricolor, que estava muito bem armado. No final, os mais de 300 torcedores do Madureira presentes no Estádio, comemoram o primeiro triunfo do time.


FI

sexta-feira, 29 de junho de 2012

CBF decide incluir o Treze/PB na Série C

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou na tarde desta sexta-feira a inclusão do Treze/PB na Série C do Brasileiro. O time já tem estreia marcada: quarta-feira, contra o Salgueiro, às 20h, no estádio Cornélio de Barros. Dirigentes da CBF do clube paraibano estiveram reunidos nesta tarde para dar um fim à briga jurídica que culminou com o adiamento do início da competição.

Na quinta-feira, a CBF havia decidido bancar a disputa judicial e autorizado o início do campeonato, sem o Treze/PB. Uma nova liminar conseguida na Justiça Comum, porém, tornou ineficaz a manobra realizada pela entidade para deixar a equipe de fora da competição. Assim, a única saída da entidade foi incluir o clube paraibano na Série C.

O escudo do Treze/PB e a tabela atualizada da Série C já foram publicados no site oficial da CBF na seção destinada à Série C. Como entrou depois, o time paraibano vai jogar às quartas-feiras. A partida com o Santa Cruz está marcada para a quarta-feira seguinte, 11/07, em Campina Grande.



Domingo, 01/07/2012
Santa Cruz/PE x Guarany (S)/CE
Domingo, 01/07/2012 às 16:00
Recife/PE
mais detalhes
Cuiabá/MT x Icasa/CE
Domingo, 01/07/2012 às 16:00
Cuiabá/MT
mais detalhes
Fortaleza/CE x Águia Marabá/PA
Domingo, 01/07/2012 às 17:00
Fortaleza/CE
mais detalhes
Rio Branco/AC x Salgueiro/PE
Domingo, 01/07/2012 às 19:30
Rio Branco/AC
mais detalhes
Segunda, 02/07/2012
Paysandu/PA x Luverdense/MT
Segunda, 02/07/2012 às 20:30
Belém/PA
mais detalhes
Quarta, 04/07/2012
Salgueiro/PE x Treze/PB
Quarta, 04/07/2012 às 20:30
Salgueiro/PE



Alexandre Barbosa - Diario de Pernambuco

San Lorenzo sai na frente na Promocion Argentina


O San Lorenzo de Almagro deu um passo importante em seu objetivo de conseguir a permanencia na primeirona do futebol argentino, ao Vencer o Instituto como visitante por 2 a 0 en Alta Córdoba.

Carlos Bueno marcou os dois gols para os azulgrenas.

Instituto precisa vencer por três gols ddiferença para conseguir o objetivo.


As equipes voltam a se enfrentar no domingo em Almagro.


O Instituto precisa fazer três gols para reverter a situação.


Instituto: Julio Chiarini; Raúl Damiani, Juan Sills, Osvaldo Barsottini, Franco Cadever; Lucas Bustos (ST 13' Manuel Fernández), Ezequiel Videla, Paulo Dybala, Hernán Encina; López Macri (ST 16' Mario Moreno) y Diego Lagos. DT: Darío Franco. Suplentes: Matías Vega (as), Alejandro Gagliardi, Leandro Coronel, Cristian Gaitán y Claudio Fileppi.

San Lorenzo: Pablo Migliore; Damián Martínez, Nicolás Bianchi, Pablo Alvarado, Walter Kannemann; Julio Buffarini, Néstor Ortigoza, Enzo Kalinski, Emiliano Tellechea (ST 32' José Palomino; Juan Manuel Salgueiro (ST 36' Leandro Romagnoli) y Carlos Bueno (ST 26' Emmanuel Gigliotti). DT: Ricardo Caruso Lombardi. Suplentes: Nereo Champagne (as), Gonzalo Ramírez, Gabriel Méndez y Bernardo Romeo.

Estadio: Alta Córdoba
Árbitro: Néstor Pitana

Sonhando com o G-4, ASA tenta manter tabu histórico contra ABC


ASA e ABC fazem nesta sexta-feira, às 21h, no Coaracy da Mata Fonseca, em jogo válido pela oitava rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, um duelo direto na luta pelo G-4. O confronto serve como motivação também para o time alagoano, que nunca perdeu para os potiguares.
No total, as duas equipes duelaram em nove partidas com quatro vitórias e cinco empates. Na temporada passada, os alagoanos venceram em Arapiraca por 4 a 3 e empatou em Natal por 1 a 1.

O alvinegro arapiraquense tenta deixar a crise de lado porque sofreu três derrotas consecutivas (Joinville, Criciúma e América-RN) e encontra-se na 15ª colocação. Já o ABC, vem de um empate com o Guarani na rodada passada e está na 12º posição.
O ASA não terá seu time completo porque o técnico Heriberto da Cunha não poderá escalar o lateral-direito Gabriel, suspenso, além do atacante Alexsandro. O jogador passou uma cirurgia no joelho e os médicos preveem que ele ficará um mês longe dos gramados.
Para piorar o quadro, o meia Valdívia pinta como dúvida. O jogador, que teve destaque no Campeonato Alagoano, sentiu dores na coxa direita após o treino de quarta e pode ficar fora da partida. Caso ele realmente ele seja vetado, Roberto Jacaré iniciaria a partida.

No ABC, Márcio Goiano também tem seus problemas para escalar sua equipe. O goleiro Andrey, o lateral Pedro Silva, o zagueiro Luizão, o volante Basílio, além do atacante Elionar Bombinha continuam fora do time por conta de lesões.

A grande novidade será a estreia do atacante Éderson. Ele foi envolvido em uma troca pelo meia Thiaguinho, do Ceará, e foi relacionado pela primeira vez.
ASA x ABC

Local: Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca (AL)
Data: 29/06/2012 (sexta-feira)
Horário: 21h
Árbitro: Renato Cardoso da Conceição (MG)
Auxiliares: Frederico Soares Vilarinho (MG) e Marconi Helbert Vieira (MG)
Transmissão: PFC para todo o Brasil

ASA
Gilson, Gaúcho, Audálio e Fabiano; Maicon, Cal, Jorginho, Didira, Valdívia (Roberto Jacaré) e Chiquinho Baiano; Lúcio Maranhão
Técnico: Heriberto da Cunha

ABC
Camilo, Edson, Flávio Boaventura, Eduardo e Renatinho Potiguar; Alisson, Bileu, Erivelton e Raul; Anderson Costa e Adriano
Técnico: Márcio Goiano

uol

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Vitoria, Timbaúba, Pesqueira e Carpina largam na frente na Serie A2 Pernambucana

Teve inicio nesta quarta-feira, a Serie A2 do Campeonato Pernambucano.

Resultados.

Atlético 0 x 1 Vitoria

Sete Setembro 0x0 Afogadense
Centro Limoeirense 1x3 Timbaúba
Chã Grande 0 x0 Jaguar
Olinda 2x2 Cabense
Íbis 1x5 Pesqueira
Ferroviário 0x3 Carpina

Próxima Rodada

Centro Limoeirense x Sete de Setembro
Timbaúba x Afogadense
Ipojuca x Chã Grande
Olinda x Carpina
Ibis x Atlético
Cabense x Ferroviário
Pesqueira x Vitoria


Todos os jogos serão realizados no domingo as 15 horas.







Instituto de Córdoba e San Lorenzo iniciam a luta da Promocion Argentina


Instituto de Córdoba e San Lorenzo iniciam a luta da Promocion.

O Instituto deixou escapar a chance de subir a primeira divisão de forma direta ao perder para o Ferro Carril por 3 x 0.



O jogo sera realizado no Estadio da Gloria as 17 e 10 desta quinta-feira.

INSTITUTO: Julio Chiarini; Osvaldo Barsottini, Juan Ignacio Sills, Lucas Bustos; Raúl Damiani, Ezequiel Videla, Franco Canever; Hernán Encina; Nicolás López Macri, Paulo Dybala y Diego Lagos.
Técnico: Darío Franco.

SAN LORENZO: Pablo Migliore; Damián Martínez, Pablo Alvarado, Nicolás Bianchi Arce, Walter Kannemann; Julio Buffarini, Néstor Ortigoza, Enzo Kalinski, Leandro Romagnoli o Juan Manuel Salgueiro; Carlos Bueno y Emmanuel Gigliotti. Técnico: Ricardo Caruso Lombardi.

ÁRBITRO: Néstor Pitana.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Vitoria estreia vencendo na A2 fora de casa



Dos 28 jogos da primeira fase que classificará para o quadrangular final rumo a elite do futebol pernambucano um já foi superado. O Vitória entrou em campo na tarde desta quarta-feira (27) e bateu o Atlético Pernambucano por 1×0, no estádio Luiz Alexandrino, em Camaragibe, na partida de abertura do Pernambucano Série A2 2012.
O atacante Alan Rocha, artilheiro da Série A2 de 2008 com 13 gols, marcou o único gol da partida aos 18 minutos do primeiro tempo.
O Vitória volta a jogar no próximo domingo, também fora de casa, contra o Pesqueira. Já o Atlético Pernambucano joga em Paulista contra o Ibis.
Ficha do Jogo:
Atlético Pernambucano:
Wellison; Djalma Pereira (Lucas), Marcos, Alisson, Alex, Patrick; Tarcisio, Diego (Luan), Junior (Xande); Tales, Alan Carlos.
Técnico: Gabriel Lisboa
Vitória:
Tony, Marquinhos, Branco (Ivisson), Ferreira, Ailton, Hallysson Pena, Klayton, Fabinho Vitória, Paulinho (Índio), Hallace (Gladiador), Alan Rocha.
Técnico: Uidemar Oliveira
Cartões amarelos:
Alan, Ailton, Branco, Ferreira (Vitória); Junior, Alex,Djalma (Atlético Pernambucano)

CBF deve se pronunciar hoje sobre início da Série C


A decisão definitiva ficou para quarta-feira (27), que determinará o início, ou não, da Série C do Campeonato Brasileiro já para o próximo final de semana. O jogo de abertura seria já sexta-feira, entre Vila Nova (GO) e Oeste (SP). Já o dia de ontem foi de atenção total a comissão disciplinar do STJD que julgará os clubes Treze (PB) e Brasil de Pelotas (RS).

Desde o início da amanhã de segunda-feira, rumores de que a terceira divisão do Brasileiro começaria nos próximos dias começaram a brotar nas redes sociais, principalmente de jornalistas que acompanham bem de perto os bastidores na Confederação Brasileira de Futebol.

Entretanto, somente depois que o presidente da FPF de Pernambuco, Evandro Carvalho, declarou que a sua federação estava trabalhando judicialmente, em Paraíba, para derrubar a liminar do Treze e também para garantir respaldo ao início do Brasileirão, foi que as especulações ganharam força. Evandro Carvalho informou que o tempo limite para que a CBF confirme os jogos da Série C termina hoje.

Com a notícia de que a competição poderá começar neste final de semana, o atacante do Paysandu, Heliton, comemorou e espera que desta vez a bola realmente role. “Que bom né! A gente já estava até ansioso, até porque faz tempo que estamos só treinando e é um pouco ruim. Agora é se preparar e treinar bem, para fazer uma boa estreia”, fala, empolgado.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou a denúncia apresentada pelo procurador Paulo Shimidt contra Treze e Brasil de Pelotas e já marcou para a próxima sexta-feira o julgamento dos clubes. Ambas as equipes foram enquadradas no artigo 81 da Lei Pelé, que pede punição em até dois anos de suspensão a clubes que utilizam a justiça comum ao invés da justiça desportiva e ainda podem pagar uma multa de até R$100 mil. A ação vai ser inicialmente julgada pela Quarta Comissão Disciplinar do órgão.





Fonte: DOL 

terça-feira, 26 de junho de 2012

NOTA DO TREZE


Brasil de Pelotas e Treze serão julgados na próxima sexta no STJD


A secretaria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) marcou para a próxima sexta-feira, dia 29 de junho, os julgamentos de Brasil de Pelotas/RS e Treze/PB, em sessão da Quarta Comissão Disciplinar, a partir das 13h30. Os dois clubes serão levados a julgamento em função do imbróglio ocorrido na Justiça Comum e que culminou nas suspensões da Série C e D do Campeonato Brasileiro. O risco é de multa pesada para ambos, além de sanções aplicadas pela própria CBF, como suspensão das atividades.

Os presidentes dos clubes gaúcho e paraibano, Ricardo Fonseca e Fábio Azevedo, respectivamente, ainda podem ficar suspensos de suas funções enquanto durar o descumprimento do regulamento.

Entenda o caso:

Para ficar com a vaga do Rio Branco/AC na Série C, o Treze procurou a Justiça da Paraíba pleiteando que a CBF fosse obrigada a incluir o clube na competição. A ação tinha como pólo passivo a Federação Paraibana de Futebol, mesmo sendo a CBF a organizadora da competição e com foro no Rio de Janeiro. E na Justiça estadual, o Treze conseguiu uma liminar que ainda sustenta e influencia na suspensão da competição, que ainda não viu a bola rolar, mesmo depois de quase um mês da sua data prevista para início.

Assim como o Treze, o Brasil de Pelotas também decidiu procurar a Justiça Comum, no caso, a Justiça do Rio Grande do Sul, também colocando como pólo passivo a Federação Gaúcha de Futebol. O pleito é pela vaga do Santo André, clube que, na verdade, ficou com a sua vaga depois que o Brasil/RS perdeu pontos por escalação irregular. Mas depois de conseguir uma liminar, o clube a viu ser cassada, e já avisou que disputará a Série D.

A Procuradoria do STJD denunciou ambos os clubes com base no artigo 191 III (deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento: de regulamento, geral ou especial, de competição) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), em que a pena é de multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

A denúncia ainda informa que, com base no parágrafo segundo do artigo 191, “se a infração for cometida por pessoa jurídica, além da pena a ser-lhe aplicada, as pessoas naturais responsáveis pela infração ficarão sujeitas a suspensão automática enquanto perdurar o descumprimento”. Nesse caso, os presidentes de Treze e Brasil de Pelotas podem ser punidos também.

Os dois clubes e seus responsáveis ainda foram enquadrados no artigo 191 II (deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento: de deliberação, resolução, determinação, exigência, requisição ou qualquer ato normativo ou administrativo do CNE ou de entidade de administração do desporto a que estiver filiado ou vinculado) do CBJD, com a mesma pena do artigo anterior, já citado.

Após o julgamento, a Procuradoria ainda pede que sejam extraídas cópias dos autos e encaminhadas ao Conselho Nacional de Justiça, “análise do expediente de falta de lealdade processual do denunciado, dentre outros aspectos, que culminam com decisões liminares expedidas por comarcas judiciais nos mais diversos Estados, porém contra a entidade maior do futebol, que amplamente consabido tem sede no Rio de Janeiro”.

Além de levar o caso a julgamento – ainda sem data marcada – no STJD, a Procuradoria também requer que seja expedido ofício à CBF para que adote as sanções cabíveis, inclusive sugere a suspensão de todas as atividades relacionadas a futebol em todo o território nacional por um prazo mínimo de um ano, com base em seus estatutos, normas internacionais e artigo 48 da Lei 9615/98.



segunda-feira, 25 de junho de 2012

Sport assiste Internacional jogar


Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
Tropeço diante do Internacional é o terceiro seguido no Campeonato Brasileiro
































O Sport não conseguiu superar a maior qualidade do Internacional e com um futebol apático foi derrotado por 2 a 0 em plena Ilha do Retiro. O Leão não ofereceu perigo ao adversário em nenhum momento, com um time cheio de improvisações. Viu, do outro lado, uma equipe organizada, que precisou jogar somente um tempo para construir o resultado. É a realidade da Série A que chega para o Leão. O alerta está ligado. Se não melhorar, o futuro na competição é obscuro.

O Sport foi para o jogo com uma proposta taticamente ofensiva, com uma linha de frente com três jogadores, mas o excesso de improvisações impediu que a equipe conseguisse apresentar um futebol coeso. A principal dificuldade era na saída de bola. Sem laterais de origem e com dois volantes de marcação no meio, o único meio de fazer a bola chegar ao ataque era na base dos lançamentos. O Leão errava muitos passes e dependia de lances individuais. O único a se destacar nesse quesito foi Felipe Azevedo.
O Inter, pelo contrário, mostrou desde o início ser um time entrosado e com um futebol em outro nível. A equipe trocava passes com qualidade, aproveitando-se dos erros do Sport para atacar. Os laterais colorados se posicionaram nas costas dos rubro-negros, encontrando uma incrível facilidade para descer ao ataque. O primeiro gol dos gaúchos saiu aos 13 minutos, com justiça. Oscar desceu pela direita e bateu cruzado para o meio da área. A bola desviou em Bruno Aguiar e entrou.

Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
Gols saíram ainda no primeiro tempo
Na frente do marcador, o Inter usou a experiência e qualidade para conduzir a partida. Em certo momento, porém, a equipe gaúcha recuou e o Sport conseguiu acertar os passes. Assim, teve as suas duas melhores oportunidades na primeira etapa, ambas com Reinaldo, aos 27 e 30 minutos. Nada, contudo, que tirasse o Colorado da sua proposta de jogo. O time continuou trocando passes e chegando com facilidade ao ataque. Dessa maneira, amplicou o marcador. Agora, a jogada foi pela esquerda. Guiñazu entrou livre na área e cruzou para Leandro Damião entrar sozinho e só tocar para o gol.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Vágner Mancini trocou Willians por Jael, mas manteve o posicionamento tático, com uma linha de três na frente. Pouca coisa mudou, no entanto. O Inter tinha o conforto da vantagem, preferindo esperar o Sport para sair no contra-ataque. O Leão ficou mais com a bola, mas foi nulo ofensivamente. A primeira bola defendida por Muriel na etapa final foi aos 26 minutos - acabou sendo a única.
O domínio do Inter foi tão grande no jogo, que em alguns momentos os jogadores abusavam no preciosismo. Mesmo assim, o time gaúcho finalizou mais que o Sport. Nos contra-ataques, poderia, facilmente, ter ampliado o marcador, mas preferiu tocar a bola. A ponto de a torcida rubro-negra, em claro protesto contra o mau futebol da equipe, gritar olé enquanto os atletas leoninos corriam atrás dos adversários.

E assim foi até o final, num segundo tempo pouco empolgante, pela falta de qualidade do Sport e pelo excesso de preciosismo do Inter, que com o resultado garantido parou de jogar com objetividade.
Sport
Magrão; Marquinhos Paraná (Ruan), Bruno Aguiar, Edcarlos e Rivaldo; Rithelly, Tobi, Willians (Jael), Felipe Azevedo e Reinaldo; Henrique (Thiaguinho). Técnico: Vágner Mancini

Internacional
Muriel; Nei, Bolivar, Índio e Kleber; Elton, Guiñazu, Oscar e D'Alessandro (Marcos Aurélio); Dagoberto (Gilberto) e Leandro Damião (Jajá). Técnico: Dorival Júnior

Estádio: Ilha do Retiro. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Wágner de Almeida Santos (RJ). Gols: Bruno Aguiar (contra), Leandro Damião.Cartões amarelos: Dagoberto, Marquinhos Paraná, Rivaldo. Público: 15.249 Renda: R$ 140.635,00

Alexandre Barbosa - Diario de Pernambuco