sábado, 22 de setembro de 2012

Sampaio joga por empate sem gols para garantir acesso




http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

Paysandu e Santa fazem jogo feio e empatam no Mangueirão

Marcelo Seabra
Ambas as equipes marcaram pouco e concederam bastante espaço para o adversário jogar
















Durante a semana, o técnico Zé Teodoro, mesmo com o seu cargo supostamente balançado, havia afirmado que ficaria satisfeito se o Santa Cruz arrancasse um empate do Paysandu, no Pará. Conseguiu. Porém, neste sábado, diante do Papão, o Tricolor poderia ter saído com uma vitória. Desperdiçou, pelo menos, quatro chances claras de gol. Num jogo totalmente aberto durante pouco mais de 90 minutos, o time de Belém também falhou na finalização e a partida terminou mesmo empatada em 0 a 0. O resultado distanciou o Mais Querido do G4.

O gramado do Mangueirão estava um pouco pesado em decorrência das chuvas que caíram durante quase todo o dia em Belém. Ainda assim, as equipes, necessitadas pela vitória, partiram para cima uma da outra no início do primeiro tempo. Articulavam jogadas e chegavam com frequência na meta adversária. O jogo tornou-se franco. A qualquer momento poderia sair um gol em qualquer barra do campo. Contudo, eram frequentes os erros de passes e finalização. Os times cansaram de perder gols e o placar em branco acabou sendo sintomático.

O primeiro tempo
A partir dos seis minutos, o Santa Cruz iniciou um esboço de pressão. Após cruzamento de Diogo na direita, Dênis Marques perdeu um gol, sozinho, cabeceando para fora.  Cerca de 40 segundos depois, Flávio Caça-Rato chutou e a bola só não entrou por que desviou na defesa. Logo na sequência, um arremate do lateral-esquerdo Renatinho assustou novamente o goleiro Dalton.

Percebendo a vontade do Tricolor em abrir a contagem, o Papão começou a se impor como mandante. Igualou as ações. Primeiro com um chute cruzado de Yago Pikachu, principal arma ofensiva dos paraeneses. Aos 29, o Bicolor  chegou de novo com perigo, e Thiago Potiguar acertou o travessão de Fred. Mas foi só. As oportunidades mais efetivas eram dos pernambucanos. Faltando três para o final do primeiro tempo, Dênis Marques, bastante acionado, deu voltando dentro da grande área para Leozinho, mas o meia perdeu o tempo da bola e deixou de fazer o que seria o primeiro gol dos visitantes.

O ato final
O duelo não arrefeceu na segunda etapa. Entretanto, os problemas de passe e finalização continuavam. Com três minutos, o atacante Moisés, cara a cara com Fred, chutou para fora. Um sinal de que as equipes não iriam balançar as redes. Aos dez, Memo bateu uma falta à queima roupa, Dalton espalmou e, no rebote, Caça-Rato chutou para fora.  Seis minutos depois, Renatinho disparou do “meio da rua” e quase fez um golaço. Aos 22, foi a vez do zagueiro Vágner perder após Diogo lançar bola na área.

Devido a uma mudança do técnico Zé Teodoro, o Santa Cruz chegou por alguns momentos a perder força ofensiva. Ele tirou Leozinho do time, pôs Branquinho e deixou o time sem um meio-campista sequer. Weslley entrou logo depois e preencheu a lacuna, dando novamente poder de ataque ao Tricolor. Os corais continuavam chegando. O problema é que o Paysandu foi crescendo. Nos minutos finais, o Papão ameaçou por três vezes. O apito final acabou, portanto, saindo com gosto de alívio para o Santa.

Ficha técnica

Local: Estádio Mangueirão (Belém/PA)
Árbitro: Paulo  Schleich Vollkopf/MS
Assistentes: Flávio Gomes Barroca/RN  e Antônio Guimarães Lugo/MS
Cartões amarelos: Marcus Vinicius, Harison e Alex Gaibú (Paysandu); Everton Sena, Leozinho, Branquinho e Édson Borges (Santa Cruz)
Cartão vermelho: Leandrinho (Paysandu)
Público: 5003

Paysandu 0
Dalton; Yago Pikachu, Marcus Vinicius, Fábio Sanches e Rodrigo Fernandes; Vanderson, Leandrinho, Harison (Robinho) e Alex Gaibú (Pantico); Thiago Potiguar e Moisés (Helington). Técnico: Givanildo Oliveira.

Santa Cruz 0
Fred; Vágner, Édson Borges e Everton Sena; Diogo (Weslley), Memo, Chicão, Leozinho (Branquinho) e Renatinho; Flávio Caça-Rato (Luciano Henrique) e Dênis Marques. Técnico: Zé Teodoro.

Yuri de Lira - Diario de Pernambuco

Fortaleza tenta desbancar Salgueiro no "Cornélio de Barros"


Vice-líder do Grupo A da Série c com 25 pontos ganhos, o Fortaleza tem neste domingo (23) mais um desafio em sua caminhada para retornar à Série B. O Leão entrenta fora de casa o perigoso Salgueiro, que não sabe o que é perder em casa na Série C deste ano.

Para o confronto diante do Carcará do Sertão, o técnico Vica segue sem poder contar com os atacantes Waldison e Jaílson, ambos se recuperando de contusões musculares. Para piorar, Ray e Jackson sentiram lesões no decorrer da semana e também não jogam em Pernambuco.

Apesar de ter testado esquemas e formações diferentes no decorrer da semana, Vica mantém o Fortaleza armado em um 4-4-2 e as únicas mudanças são as entradas de Doda e Cleo no lugares dos lesionados Jackson e Ray.

Invicto em casa

Adversário do Leão neste domingo o Salgueiro tem no Estádio Cornélio de Barros o seu talismã. Invicto como mandante, o Carcará só perdeu duas vezes em 25 partidas como mandante com história da Série C. O time tem 17 pontos e está em terceiro no grupo.

Salgueiro x Fortaleza

Local: Estádio Cornélio de Barros

Horário:16h

Árbitro: Marielson Alves Silva  - CBF- BA

Assistentes: Adson Marcio Lopes Leal -BA e José Roberto Dias da Hora-BA

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Fernando Belém, Luiz Eduardo e Peri; Dinho, Rodolfo Potiguar e Vítor Caicó, Clébson e Elvis; Júnior Ferrim.
Técnico: Neco

Fortaleza: Lopes; Rafinha, Micão, Fabríco e Guto; Élton, Esley, Geraldo e Doda; Assisinho e Cleo Técnico: Vica

Jangadeiro

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

O Z-4 mais bonito de todos os tempos


Quem nos acompanha há mais tempo, sabe do nosso posicionamento em defesa do futebol do nordeste.

E contrário a equipes aventureiras do futebol brasileiro.

Pois elas acabam durante um período passageiro ocupando o lugar de verdadeiros clubes de futebol.

Santa Cruz, Fortaleza, Remo, Paysandu, Sampaio Correa, CSA, Treze, Campinense, Botafogo-PB não poderiam jamais estar nas séries C e D do nosso futebol.

É verdade que cada situação é um caso à parte. Com responsabilidades dos próprios clubes.

Contudo, não poderia deixar de analisar o momentâneo Z-4 da série B.

Composto por Guaratinguetá (ex-americana), Bragantino, Ipatinga e Barueri (ex-presidente prudente).

Ainda achamos que cabe o Boa Esporte em lugar do Bragantino na Série C 2013.

Analise o passado dessas equipes e diga:

Como está bonito o Z-4 da Série B.

O drama tricolor em Belém

Esta partida do sábado pode representar para o Santa Cruz, um divisor de águas na Série C.

Na 6ª posição com 15 pontos, o tricolor pode terminar a rodada no G-4. Ou próximo do Z-4.

Vencendo, chegará aos 18 pontos e ficará na expectativa dos resultados de Salgueiro, que joga em casa no domingo contra o Fortaleza. Treze, que encara o Cuiabá fora de casa e Águia que enfrenta o Guarany em Sobral.

Dois dos três empatando, o Santa livrará a pressão e ficará na zona de classificação.

Um empate não será mal resultado. Levando-se em consideração o fator campo e torcida do Paysandu.

A derrota deixará a cobra coral, no mínimo na 7ª posição. E se Icasa e Cuiabá vencerem seus jogos, complica de vez. Os três ficarão com 15 pontos.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Paysandu perde mando de dois jogos


O Paysandu continua tendo problemas com o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), depois de Harison e Potiguar serem julgados, o Papão terá que responder pela atitude de torcedores bicolores que, após o jogo contra o Icasa, pela 9ª rodada da Série C, arremessaram objetos em direção ao gramado. O clube acabou sendo punido com dois jogos de suspensão, tendo que mandar seus jogos a, no mínimo, 100 quilômetros de distância de Belém, além de multa de três mil reais.

Segundo o árbitro que apitou a partida, Francisco de Lima Junior, os torcedores do Papão teriam arremessaram diversos copos plásticos, latas de refrigerante e bagaços de laranja em direção à comissão técnica e aos jogadores, quando os bicolores se dirigiam ao vestiário, ao fim do jogo.
Sendo assim, o Paysandu terá de jogar as partidas contra Treze e Salgueiro, pela 15º e 17º rodada da Série C, respectivamente, fora de Belém.

O clube ainda não se pronunciou sobre onde poderá mandar seus jogos. Os locais mais prováveis são a Arena Verde, em Paragominas, e o estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

AFI

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Série A2 do Pernambucano entra em reta decisiva



Para algumas equipes, faltam 6 jogos, para outras, apenas 5.

A Série A2 pernambucana entra em reta decisiva para o final da 1ª fase, que vai apontar os 4 semifinalistas da competição.

Cabense, Chã Grande, Pesqueira e Olinda estão no G-4.

Porém, uma denúncia do Vitória ao TJD, sobre a utilização irregular do atleta Alcimar do Olinda, toca fogo na segundona.

O "Tricolor das Tabocas" está a 5 pontos do próprio Olinda.

Confira os jogos:



A Classificação:




terça-feira, 18 de setembro de 2012

ABC contrata zagueiro do Atlético-PR



O zagueiro Rafael Schmitz deixou o Furacão e seguiu para o ABC. A informação foi confirmada pelo presidente do clube nordestino, Rubens Guilherme Dantas, em entrevista para a Rádio Globo de Natal.

Rafael chegou ao Furacão durante o Campeonato Paranaense, mas atuou em apenas duas oportunidades. Sofreu uma contusão e ficou um longo período no departamento médico. Não atuou na Série B. Tem contrato com o Rubro-Negro paranaense até o final de 2013. O dirigente do ABC não confirmou se a negociação foi por empréstimo ou definitivo.

Outro jogador que chega junto com o zagueiro ao ABC é o lateral-direita Raulen, que teve uma passagem pelo Furacão em 2004.

O atacante Éderson pertence ao Atlético, mas também está emprestado à equipe do Rio Grande do Norte. Além dele, o goleiro Andrey, o zagueiro Flávio Boaventura e o volante Bileu já tiveram passagens pelo CT do Caju. Ademir Fonseca, treinador da equipe nordestina, quando jogador também vestiu a camisa atleticana.

Furacão
[foto: Julia Abdul-Hak]

Prefeitura do Recife abre inscrições para 3,5 mil vagas em cursos profissionalizantes gratuitos


A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seel), inicia nas próximas quinta (20) e sexta-feira (21), as inscrições para 3,5 mil vagas em 30 cursos profissionalizantes gratuitos. A ação faz parte do programa Recife das Oportunidades e tem como um de seus objetivos qualificar cidadãos recifenses para o mercado de trabalho, visando, inclusive a realização dos grandes eventos esportivos a serem realizados no Brasil como a Copa das Confederações, em 2013; a Copa do Mundo, em 2014 e as Olimpíadas, em 2016. As ofertas abrangem dez importantes áreas: alimentação, artesanato, artes, construção civil, educação, saúde, escritório, higiene e beleza, idioma, industrial e vestuário.

As capacitações serão ofertadas em 15 unidades de ensino – distribuídas pelas seis Regiões Político-administrativas (RPAs) da Cidade – e são destinadas, preferencialmente, às pessoas atendidas pelos programas sociais da Prefeitura como Bolsa Escola; Educação de Jovens e Adultos; alunos egressos do Projovem; estudantes do 3º e 4º Ciclos do Ensino Fundamental; beneficiários do Bolsa Família e Secretaria Especial da Mulher, além das comunidades próximas das Unidades de Ensino.

Caso haja um número de inscritos maior do que as vagas oferecidas, será realizado um sorteio público na terça-feira (25). O quadro com a lista dos nomes dos sorteados será divulgado na quinta (27). As matrículas dos selecionados acontecem na segunda (01/10) e terça-feira (02/10).

Todo o processo, inscrições, sorteio público, divulgação da lista dos sorteados e consequentemente, matrículas, acontecem nas próprias unidades profissionalizantes da Rede Municipal de Ensino, em seus respectivos horários de funcionamento. Para efetuar a matrícula, os candidatos devem apresentar os seguintes documentos: comprovante de residência; declaração de escolaridade; CPF; identidade e comprovante ou encaminhamento do programa social do qual participe. As aulas têm início na quarta-feira, 3 de outubro.

Serviço:
Cursos profissionalizantes gratuitos
Inscrições: Quinta (20) e sexta-feira (21)
Sorteio Público: Terça-feira (25)
Divulgação da lista com os nomes dos sorteados: Quinta (27)
Matricula: Segunda (01/10) e terça-feira (02/10)
Início das aulas: quarta-feira (03/10)
Confira as unidades, endereços e os cursos oferecidos no link abaixo.

http://www2.recife.pe.gov.br/prefeitura-do-recife-abre-inscricoes-para-35-mil-vagas-em-cursos-profissionalizantes-gratuitos/

Secopa/Recife

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Possibilidades de classificação das equipes do grupo A da Série C



Chances de cada time


Grupo A
Time
Classificação para as Fases Finais
Rebaixamento para a Série D
Fortaleza99.99 %0.00 %
Luverdense99.94 %0.00 %
Salgueiro65.3 %0.4 %
Santa Cruz59.6 %0.9 %
Paysandu34.2 %3.1 %
Treze21.9 %4.3 %
Águia de Marabá16.0 %7.8 %
Cuiabá2.3 %24.5 %
ICASA0.8 %63.2 %
Guarany-Smenor que 0.01 %95.7 %


Chance de Gol

Flamengo próximo de anunciar Cléber Santana



Após demonstrar interesse, o Flamengo está muito próximo de confirmar as contratações do zagueiro Renato Santos e do meia Cleber Santana, do Avaí, para a reta final do Brasileirão.

O diretor de futebol do Flamengo, Zinho, observou em diversas partidas o time do Avaí, sendo em particular Renato Santos e Cleber Santana.

A negociação entre Avaí e Flamengo deve ser oficializada nesta terça-feira. No acerto, o Flamengo vai ceder por empréstimo o zagueiro Thiago Medeiros e os atacantes Negueba e Hernane, serão emprestados até o final desta temporada.

Em relação ao zagueiro Renato Santos, o Flamengo vai comprar 40 % do passe vinculado ao Avaí, sendo o restante pertence ao empresário Eduardo Uram.

O acerto com Cleber Santana deve ser mais simples. Emprestado pelo São Paulo até o final da temporada, o Flamengo precisa apenas entrar em acordo com o clube paulista.

Apesar de muitos apontarem a negociação como finalizada, Avaí e Flamengo ainda mantém a cautela e só anunciarão oficialmente a negociação, quando encerrada.


FutebolSC
Foto: Avaí

Sampaio empata e a classificação fica para domingo



Por pouco, muito pouco mesmo, como diriam os locutores esportivos, o Sampaio Corrêa não consegue vencer o Mixto-MT, em Cuiabá, na noite deste domingo, no estádio Dutrinha, na primeira partida das quartas-de-final da Série D do Campeonato Brasileiro.

Depois de 0 x 0 no primeiro tempo equilibrado, o Sampaio saiu na frente marcando 1 x 0, com Célio Codó, de cabeça, aos 19 minutos do segundo tempo. A dois minutos do fim, entretanto, Furlan fez o gol que salvou o Mixto da derrota. E ficou nisso: 1 x 1.

O empate, ainda mais fazendo gol, foi um  excelente resultado para o Sampaio. O segundo jogo entre as equipes acontece no próximo domingo, às 17h, no estádio Castelão, em São Luís. Se der empate sem gols, o Sampaio se classifica.

Caso seja repetido o 1 x 1, a decisão da vaga para a fase semifinal será nos pênaltis. Empate por 2 x 2 ou mais, o Mixto se classificará. Quem vencer avançará.


Ficha técnica
Mixto 1 x 1  Sampaio
Local - Estádio Eurico Gaspar Dutra, o Dutrinha
Data – 16/09/2012
Gols – Célio Codó, de cabeça, aos 19’, para o Sampaio, e Furlan aos 43’, para o Mixto, no segundo tempo
Árbitro - Cleber Vaz da Silva (GO)
Assistentes - Jesmar Benedito Miranda de Paula (GO) e João Patrício de Araújo (GO)

Mixto (MT) - Heverton Perereca, Ley, Cris, Kal e Leandro César (Eder Belém); Kiko, Cleber, Paulo Almeida (Juliano) e Robinho; Nonato e Furlan
Técnico - Everton Goiano

Sampaio - Rodrigo Ramos; Roniery, Mimica, Carlinho Rech e Deca; Robson Simplício (Dudu), Arlindo Maracanã, Eloir (Robinho) e Cleitinho; Pimentinha e Célio Codó
Técnico - Flávio Araújo


Sampaio Correa

Direção do Santa garante permanência Zé Teodoro


No começo do dia, foi ventilada a informação de que o treinador Zé Teodoro não
permaneceria mais no Santa Cruz. Abalado por outra derrota na Série C do Brasileirão, o técnico estaria abalado no cargo.

Durante toda a manhã desta segunda-feira, a cúpula tricolor se reuniu na sala da presidencia do Arruda para definir situações. Segundo os dirigentes, apenas uma reunião de praxe. Garantiram que não estava em pauta a troca de comandante.

O mandatário Antônio Luiz Neto, além dos diretores Constantino Júnior, Rodolfo Aguiar, Albertino Júnior e outros membros da direção, passaram das 9h até por volta de 12h30 conversando.

SuperEsportes

Bahia 2 x 1 Figueirense - Os gols





http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

Internacional 2 x 2 Sport - Os gols





http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

Fortaleza 3 x 1 Paysandu - Os gols




http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

domingo, 16 de setembro de 2012

O pênalti desperdiçado por Araújo do Náutico



http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

Bahia derrota Figueirense de virada



Mais uma tarde de emoção e delírio no estádio de Pituaçu. Neste domingo, 16, a torcida tricolor viu o Bahia sair atrás do placar e arrancar, na raça, a virada sobre o Figueirense: 2 a 1 pela 25ª rodada da Série A 2012, resultado que mantém o Esquadrão de Aço invicto no segundo turno do Campeonato Brasileiro.

Jogando em casa contra um adversário teoricamente inferior, o time do técnico Jorginho pressionou o Figueirense desde o apito inicial. Mas foram os visitantes que abriram o placar, com Julio Cesar, aos 33 minutos do primeiro tempo. Apesar disso, o tricolor jogava bem, e a torcida não esperava um resultado diferente na segunda etapa senão a virada.

E ela veio. Ousado no segundo tempo, o Esquadrão de Aço chegou ao empate com Helder (foto), aos 27 minutos, e iniciou a pressão sobre o Figueira. A virada aconteceu num lance polêmico: Wilson, que vinha fechando o gol para a equipe catarinense, chocou-se com Jones Carioca na área; o árbitro não parou a jogada e Cláudio Pitbull aproveitou o gol vazio para marcar.

Apesar do protesto dos visitantes e da confusão em campo, o árbitro confirmou o gol da virada e o triunfo do Bahia, o quarto neste segundo turno de Série A. Agora são sete jogos sem perder, e o tricolor continua se recuperando na tabela do Campeonato Brasileiro.

A zona de rebaixamento não preocupa tanto, já que o tricolor ultrapassou Flamengo, Coritiba e Portuguesa na tabela. O Esquadrão agora mira a vaga na Sul-Americana, terminando a rodada com 31 pontos, na 13ª posição. O próximo compromisso do time de Jorginho acontece daqui a uma semana, no domingo, 23, às 18h30, no Beira Rio, contra o Internacional.

Surpresa catarinense - Não há como negar: Jorginho tornou o time do Bahia muito mais ousado e temido pelos adversários que vêm enfrentá-lo em Pituaçu. Neste domingo, a escrita foi mantida, com o Esquadrão de Aço dominando e partindo para cima desde o primeiro minuto.

Eram 4 minutos quando criou a primeira oportunidade de gol: Helder aproveitou troca de passes na área e chutou raspando a trave. No minuto seguinte, Jones passou com facilidade pela marcação e ficou de cara com o goleiro do Figueira, mas chutou para fora. O domínio tricolor se manteve nos minutos seguintes, mas sem a mesma precisão no ataque.

No último terço do primeiro tempo a defesa tricolor ficou nervosa, e foi a vez do Figueirense ensaiar uma mini-pressão: aos 30, Botti cobrou falta na área, Lomba espalmou e Túlio chutou em cima da zaga. Aos 31, Titi cabeceou contra a própria meta e quase marcou um golaço contra.
Tudo corria bem até que, aos 32 minutos, Julio Cesar pregou uma peça em todos os presentes ao Pituaçu: Botti cruzou mais uma bola na área do Bahia, a bola passou por toda a defesa e o atacante apareceu na segunda trave para cabecear. 1 a 0 Figueirense.

Raça bem baiana - No intervalo, Jorginho tirou o garoto Rafael, pouco inspirado, e mandou Lulinha para campo. A alteração surtiu efeito, com o Bahia mais rápido e ofensivo durante a segunda etapa. A primeira chance surgiu com o próprio Lulinha, os 5 minutos, quando subiu entre os zagueiros e cabeceou para fora.

A pressão só estava começando: aos 9, Neto carimbou o travessão do goleiro Wilson na cobrança de falta; aos 13, Diones recebe de Lulinha e o goleiro agasalha a bola; aos 15, Helder aproveitou rebote da intermediária e chutou para fora; aos 18, Wilson apareceu mais uma vez para defender a cobrança de falta de Neto buscando o canto do goleiro.

Aos 27, o tricolor foi recompensado pela insistência. Jussandro recebeu na esquerda e mandou na área; a bola passou por todo mundo, menos por Helder, que completou na segunda trave. Empate na hora certa, mantendo o Esquadrão vivo na partida.

Mais eis que surgiu a muralha Wilson. O goleiro do Figueirense começou a brilhar aos 29, quando pegou chute cruzado de Lulinha. Aos 37, ele salvou mais duas, nos chutes de Jones e Helder de dentro da área. Mesma cena do minuto 39, quando o camisa 1 alvinegro defendeu mais dois chutes, desta vez com Helder e Cláudio Pitbull.

Parece que o tricolor só chegaria à virada se vencesse a muralha do Figueira. E ele só caiu, literalmente, aos 45 minutos do segundo tempo. Jones invadiu a área acompanhado do zagueiro Edson Silva e ambos se chocaram com o goleiro Wilson; ele ficou nocauteado no chão, mas o árbitro deu sequência à jogada; Cláudio Pitbull, esperto, aproveitou o gol aberto e decretou a virada do Esquadrão de Aço: 2 a 1!

Bahia 2 x 1 Figueirense - 25ª rodada da Série A 2012

Local: Estádio Metropolitano de Pituaçu, em Salvador (BA).
Data: Domingo, 16 de setembro.
Horário: 16h.
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE).
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Márcia Lopes Caetano (RO).
Gols: Helder (aos 27 minutos do segundo tempo) e Cláudio Pitbull (aos 45 minutos do segundo tempo) para o Bahia; Julio Cesar (aos 33 minutos do primeiro tempo) para o Figueirense.
Cartões amarelos: Cláudio Pitbull, Jones Carioca, Neto e Marcelo Lomba (Bahia); Botti, Lazaroni, Túlio, João Paulo e Édson Silva (Figueirense).
Bahia: Marcelo Lomba; Neto, Danny Morais, Titi e Jussandro; Fahel, Diones (Kleberson) e Hélder; Jones Carioca, Elias (Cláudio Pitbull) e Rafael Gladiador (Lulinha). Técnico: Jorginho.
Figueirense: Wilson; Doriva, Édson Silva, João Paulo e Hélder; Coutinho (Lazaroni), Túlio, Claudinei e Botti (Ronny); Caio e Julio Cesar (Jean Deretti). Técnico: Márcio Goiano.

A Tarde

Náutico 1 x 0 Atlético-MG - O gol





http://www.youtube.com/user/CAMFWAYNE5

Fortaleza vence Paysandu de virada



Após tomar susto no primeiro tempo, o Fortaleza arrancou uma virada sobre o Paysandu, no estádio Presidente Vargas (PV), e e manteve a série de 10 jogos seguidos sem derrota. Com a vitória de 3 a 1, o Leão continua na vice-liderança do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro, com 25 pontos, já que o líder Luverdense também venceu no fim de semana.
O Leão começou atacando no começo. Aos três minutos, Rafinha cobrou falta, mas Dalton defendeu sem dificuldade. Mas foi o Paysandu quem ofereceu maior perigo, apesar do pouco trabalho dos goleiros. Aos sete minutos, o time de Belém cobrou escanteio, mas Lopes pegou com facilidade. Aos 11 minutos, Harison arriscou com um chute forte de fora da área, mas mandou para fora.

O gol saiu aos 13 minutos, quando Yago Pikachu recebeu lançamento de Harison e mandou para o fundo das redes. O Papão se mostrava mais organizado em campo, enquanto os jogadores do Fortaleza pareciam nervosos e errando muitos passes após o gol. Aos 17 minutos, Jackson fez boa jogada para o Leão, mas Dalton fez a defesa. Outra chance perdida veio aos 35 minutos, quando Ray cabeceou para a linha de fundo.

O time do técnico Vica voltou disposto a reagir no segundo tempo. Mas foi o time de Belém quem começou oferecendo perigo, mas Lopes fez bela defesa de um chute de Moisés. O Fortaleza passou a adotar uma postura mais agressiva e conseguiu o empate aos 22 minutos, com um chute rasteiro do meia Jackson.

O segundo gol veio pouco depois. Aos 25 minutos, o lateral esquerdo Guto recebeu na área, girou e mandou para as redes, colocando o Tricolor do Pici na frente do placar. O terceiro saiu aos 30 minutos, após bela tabalea de Cléo e Assisinho, que entrou no gol com bola e tudo. O Paysandu buscou diminuir o placar até os minutos finais, mas o Fortaleza segurou a pressão e garantiu mais uma vitória.

O Fortaleza volta a campo pela Série C no próximo domingo (23), contra o Salgueiro, fora de casa.

Jangadeiro

Santa é derrotado pelo Treze em Campina Grande


Esperança, ainda há. Afinal, o time está a apenas um ponto do G4. Mas a confiança do torcedor coral acabou. Neste domingo, quem teve disposição para pegar a estrada até Campina Grande viu um Santa Cruz acuado, apático, presa fácil para o Treze, um time montado às pressas, depois de conseguir a vaga na Série C através da Justiça Comum. Os dois meses de salários atrasados não são desculpas para tamanho vexame. O Galo da Borborema venceu por 2 a 1. Foi pouco. Foi duro para os tricolores. Classificação ameaçadíssima, fantasma da Série D rondando o Arruda. Com o resultado, a equipe caiu quatro posições: da terceira à sexta. Agora, resta recolher os cacos da derrota e se preparar para outro difícil desafio, sábado: o Paysandu, em Belém.

Logo com quatro minutos de jogo, Everton César chutou de longe do Treze, Fred espalmou mal, a bola explodiu no travessão. Em seguida, quem quase entregou o ouro foi o goleiro do Treze, em cobrança de falta de Leandro Oliveira. O Tricolor perdeu diversas chances, com Renatinho, Caça-Rato e Dênis Marques. E pagou caro. Aos 33, o lateral esquerdo Assis recebeu passe açucarado de Ney Mineiro, invadiu a área como quis e chutou. Fred defendeu para o lado errado, Assis não desperdiçou o rebote: 1 a 0.

Com as inexplicáveis ausências de Fabrício Ceará e Luciano Henrique entre os titulares, o Santa Cruz jogou com três volantes. Retranca desnecessária. Aos 45, novo castigo. Vavá recebeu com liberdade e chutou rasteiro, cruzado, sem chance de defesa: 2 a 0. O time coral seguiu ao vestiário debaixo de vaias e arremesso de objetos. Coro de “burro, burro” para Zé Teodoro. Na segunda etapa, inclusive, o treinador chegou a estar com um time com quatro atacantes, um meia de criação e nenhum lateral de origem. Uma equipe completamente perdida e desorganizada.

Aos oito minutos, dos pés de Luciano Henrique, um dos poucos lúcidos, saiu o gol do Santa Cruz. Um golaço, com chute de fora da área: 2 a 1. Foi só. Daí para o fim, o Tricolor pouco produziu. Por sinal, ainda teve atitude sem “fair play”, ao não devolver uma bola ao Galo da Borborema, jogada à lateral para atendimento médico do goleiro. Incompetência. E teve sorte por não levar mais, com uma chance clara perdida por Brasão, aquele folclórico ex-atacante coral. Restaram o lamento por uma rodada tão ingrata (com derrota e vitórias dos principais concorrentes ao G4) e o protesto. Uma volta para casa repleta de amargura e decepção. A classificação ainda está nas mãos do clube pernambucano. Difícil é acreditar.

FICHA TÉCNICA

Treze
Carlos Luna; Aderlan, Márcio Garcia (Bonfim), Gasparetto e Assis; Júlio César, Zabotto, Everton César (Gustavo) e Cristian; Ney Mineiro e Vavá (Brasão). Técnico: Marcelo Vilar

Santa Cruz
Fred; Diogo(Paulista), William Alves, Édson Borges e Renatinho; Chicão, Sandro Manoel (Luciano Henrique), Everton Sena e Leandro Oliveira (Fabrício Ceará); Caça-Rato e Dênis Marques. Técnico: Zé Teodoro

Local: Estádio Amigão (Campina Grande). Árbitro: Manoel Nunes Lopo Garrido (BA). Assistentes: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA). Gols: Assis e Vavá (T); Luciano Henrique (S). Cartões amarelos: Assis (T); Sandro Manoel, William Alves, Chicão e Dênis Marques (S).

Rodolfo Bourbon - Diario de Pernambuco