sábado, 16 de março de 2013

Luiz Muller projeta manter o 100% de aproveitamento do Porto como mandante no 2º turno


Um dos motivos da boa campanha do Porto de Caruaru no segundo turno do Campeonato Pernambucano é o fator casa. O time treinado por Luiz Muller encarou Petrolina e Salgueiro nos seus domínios e obteve duas vitórias. Neste domingo, o Porto volta a atuar no estádio Lacerdão às 16h diante do Pesqueira.

Após sofrer dois insucessos normais fora de casa contra Sport e Náutico, Luiz Muller comemora o fato de o seu time voltar a jogar em Caruaru e projeta mais um resultado positivo. “Nossa equipe vem conseguindo fazer valer o fator casa. Espero que diante do Pesqueira nós consigamos mais uma vitória. Caso isso aconteça podemos até entrar no G-4”, declarou o treinador do Porto. No momento o time ocupa o sexto lugar com oito pontos e o quarto colocado é o Salgueiro, que somou nove pontos.

Independente do Pesqueira ser o lanterna do segundo turno, Luiz Muller prevê dificuldades. “Nós temos algumas dúvidas e desfalques, como no caso do meia Tiago, que está suspenso. Nos confrontos entre os times do interior de Pernambucano sempre existe muito equilíbrio. Por isso, que o fator casa conta muito. Contamos com o apoio do povo de Caruaru”, enfatizou o técnico.


sexta-feira, 15 de março de 2013

Ceará demite Ricardinho


A três dias do 1° Clássico-rei do ano, o Ceará anuncia a demissão do técnico Ricardinho. A informação foi divulgada na noite desta quinta-feira, por volta das 22h30min, no twitter oficial do clube.

O Ceará informou ainda que Dimas Filgueiras assume o time interinamente e comandará a equipe no jogo contra o Fortaleza, no próximo domingo. O clube destacou ainda que a diretoria já trabalha na busca de um treinador.

O POVO apurou que a diretoria alvinegra passou a tarde reunida, avaliando o trabalho da atual comissão técnica e, no início da noite, o treinador foi comunicado de quem interessava mais ao clube.

Junto com Ricardinho, também deixam a equipe os auxiliares Anderson Silva (este, no time desde a chegada de Vágner Mancini, em 2011) e Rodrigo Pozzi, além do preparador físico George Castilhos.

HISTÓRICO DO TREINADOR

Ricardinho foi anunciado como treinador do Ceará em dezembro do ano passado. Ao todo, comandou a equipe em 13 oportunidades (3 jogos pelo Campeonato Cearense e 10 pela Copa do Nordeste). Foram cinco vitórias, dois empates e seis derrotas.

No Nordestão, levou o time à semifinal, mas viu a equipe ser eliminada em casa para o azarão ASA de Arapiraca. No Estadual, perdeu dois dos três jogos do time que disputou. A saída do treinador foi decretada após o revés para o Icasa, por 2x0, no estádio Romeirão.

O Povo

quinta-feira, 14 de março de 2013

Petrolina 0 x 0 Sport - Melhores Momentos

Éverton terá nova chance no Fortaleza



O Fortaleza, líder da segunda fase do Campeonato Cearense com duas vitórias em dois jogos, fez nesta quarta-feira (13), no Estádio Alcides Santos, um treino coletivo visando o duelo contra o Guarany de Sobral.

Sem poder contar com o volante Esley, que foi expulso no Clássico das Cores da última segunda-feira (11), o técnico Hélio dos Anjos escalou Everton, jogador que comandou no Sport e no Náutico, na equipe titular.

De resto, o treinador manteve a mesma formação que bateu o Tubarão da Barra: João Carlos; Luiz Felipe, Fabrício, Gabriel e Marinho Donizete; Jackson Silva, Lucas, Everton e João Henrique; Assisinho e Jaílson.

O Fortaleza recebe o Guarany de Sobral, na próxima quinta-feira (14), às 20h15, no Estádio Alcides Santos.

Contratado no inicio da temporada, Everton começou o ano como titular, mas perdeu espaço para o trio de volantes formado por Jackson Silva, Esley e Lucas.

Tribuna do Ceará

Sport fica no empate com Petrolina


Na primeira entrevista depois de retornar ao Sport, Sérgio Guedes foi enfático em relação ao que esperava dos atletas leoninos. "A maior entrega possível", avisou. Porém, o técnico não foi brindado com o que desejava. Na noite desta quarta-feira, a primeira impressão que os jogadores passaram para o comandante, reestreando pelo clube na beira do gramado, foi de apatia. No estádio Paulo Coelho, no Sertão, os rubro-negros empataram sem gols com o Petrolina. O resultado e, sobretudo o futebol apresentado, assusta a torcida às vésperas do clássico contra o Náutico, domingo, na Ilha do Retiro. Até lá, o técnico terá pouco tempo para corrigir os vários erros demonstrados na partida.

Sérgio Guedes, é bem verdade, não escalou quem entraria em campo diante da Fera Sertaneja. Para o seu primeiro jogo no Campeonato Pernambucano, preferiu que o interino Gustavo Bueno escolhesse os onze titulares e a formação da equipe. Por outro lado, a postura do time mudou em alguns aspectos. Embora insuficiente para que o time chegasse ao gol. Um bom exemplo foi o de Rithely, que voltou a chegar como um homem surpresa, assim como fazia na Série A do Brasileiro, no ano passado, quando o Sport era também comandado pelo técnico.

A partida contra o Petrolina seguiu arrefecida até o primeiro terço da etapa inicial.
Somente aos 17 minutos, o meia Marcos Aurélio criou uma chance. Mas o goleiro Diego fez uma boa defesa e impediu que o Leão abrisse a contagem. A Fera chegou a assustar cinco minutos depois. Primeiro, o zagueiro Maurício, atuando na sobra, evitou um gol que parecia certo. Em seguida, Cleitinho quase marca de bicicleta. Magrão defendeu.

A Fera Seraneja estava crescendo na partida. O Rubro-negro, por outro lado, se retraia. Pecava na criação. No esquema 3-5-2, os alas Moacir e Reinaldo pouco contribuiam. Marcos Aurélio ficou sobrecarregado e aceitou a marcação. Na melhor oportunidade que o Leão criou, no último minuto do primeiro tempo, Roger desperdiçou com a barra aberta e o goleiro adversário caído no chão.

Segundo tempo
O treinador Sérgio Guedes promoveu duas alterações no time na volta dos vestiários. Lucas Lima e Matheus Lima, nas vagas de Marcos Aurélio e Sandrinho - respectivamente. As mudanças melhoraram sensivelmente a equipe. O técnico tambémassim, abriu mão de 3-5-2 de Gustavo Bueno e adotou tradicional 4-4-2. O Sport começou a ter um pouco mais volume de jogo que o adversário. Mas nada adiantou. O duelo seguiu no mesmo ritmo até o apito final.

Petrolina
Diego; Jair, Bilica e Rafael; Rogério Rios, Márcio, Allan Reuber, Julinho e Toninho;
Kleitinho e Viola. Técnico: Júnior Caruaru.

Sport
Magrão; Gabriel, Maurício (Cicinho) e Tobi; Moacir, Fábio Bahia, Rithely, Marcos Aurélio (Lucas Lima) e Reinaldo; Sandrinho (Matheus Lima) e Roger. Técnico: Sérgio Guedes.

Estádio: Paulo Coelho (Petrolina-PE)
Árbitro: Niélson Nogueira Dias/PE
Assistentes: Clóvis Amaral e Marcelinio Castro, ambos de PE
Cartões amarelos: Rafael (Petrolina)
Público: 3980

Yuri de Lira - Diario de Pernambuco

Ceará joga mal e perde do Icasa


O Ceará foi até Juazeiro do Norte e se deu mal. O Vovô não fez uma boa partida, principalmente no segundo tempo, na noite desta quarta-feira (13) e perdeu para o Icasa por 2 a 0. Foi a segunda derrota em três partidas da equipe no Campeonato Cearense.

A primeira oportunidade de gol foi do Alvinegro. Aos 12 minutos da etapa inicial, Ricardinho cobrou falta, a bola desviou na defesa e sobrou para Luiz Henrique, que bateu cruzado, mas o goleiro Camilo fez grande defesa.

No minuto seguinte, mais uma vez o Vovô perdeu grande chance de abrir o placar. Anselmo fez boa jogada e cruzou da esquerda, Luiz Henrique, afobado, novamente desperdiçou. O primeiro ataque perigoso icasiano surgiu aos 28 minutos do primeiro tempo. O lateral Roberto recebeu na entrada da área e arriscou. Fernando Henrique, com segurança, fez a defesa.

Aos 37 minutos, Luiz Henrique perdeu mais uma boa oportunidade para o Vovô. O jovem atacante tabelou com Anselmo e de frente com a meta adversária finalizou para muito longe. Com os atacantes vacilando na hora de definir, o zagueiro Rafael Vaz chutou de longe para bela defesa de Camilo.

O último lance de perigo da primeira etapa foi do Ceará. O meia Ricardinho, até então sumido da partida, cobrou falta com categoria e o goleiro do Icasa, Camilo, fez outra grande intervenção, evitando o tento alvinegro.

Pressão e vitória icasiana no segundo tempo

O time casa voltou bem melhor do intervalo. Depois de alguns bons ataques, o Verdão do Cariri quase abriu o marcador aos cinco minutos do primeiro tempo. Roberto arriscou de longe e forçou Fernando Henrique a fazer boa defesa.

O Icasa seguiu pressionando. Apenas dois minutos depois da chance anterior, Chapinha recebeu dentro da área e ajeitou para Rafinha, que chutou colocado, mas para sorte do Vovô, novamente Fernando Henrique apareceu bem no lance e evitou o gol alviverde.

O Ceará fez a sua primeira finalização na etapa final somente aos 19 minutos. Luiz Henrique cruzou da esquerda, Lulinha fez o papel de pivô e Eusébio bateu forte, mas Camilo afastou o perigo da meta icasiana. Dois minutos depois, Lulinha ganhou dividida e chutou forte para fora.

O Verdão continuava a comandar a ações ofensivas e aos 29 minutos, Chapinha cruzou , a bola desviou em Diogo Orlando e chegou até Juninho Potiguar, que cabeceou bem. Fernando Henrique, em um lance de puro reflexo, fez grande defesa. A pressão icasiana surtiu efeito aos 37 minutos. O volante Romarinho cobrou falta com violência, sem chances para o arqueiro do Ceará, e abriu o marcador.

Com o Vovô completamente perdido, o Icasa não demorou para ampliar o placar. Chapinha recebeu lançamento de Neto e tocou com categoria, no canto esquerdo de Fernando Henrique, fazendo o segundo tento do time da casa e definindo o resultado do jogo.

Tribuna do Ceará

Náutico bate Porto nos Aflitos


Longe de ser brilhante, mas mantendo uma eficiência singular, o Náutico segue na rotina intermitente de vitórias e muitos gols. Jogando apenas o suficiente para vencer e se manter na liderança do Estadual (agora com 15 pontos), o Timbu fez 3 a 0 sobre o Porto, na noite desta quarta-feira, nos Aflitos. Os gols foram marcados pela dupla Elton e Rogério (duas vezes), artilheiro e vice-artilheiro da competição, com 13 e dez gols, respectivamente. Neste segundo turno, inclusive, Elton mantém uma excelente regularidade de ter marcado pelo menos um gol por jogo. De quebra, o até então criticado sistema defensivo ainda chegou ao terceiro jogo sem sofrer gols.

Era exatamente o que o Náutico precisava para ganha o fôlego necessário para chegar ainda mais poderoso ao clássico contra o Sport, domingo, na Ilha do Retiro. Com o melhor ataque do Brasil (42 gols em 14 jogos) e uma invejável ma média de três jogos por jogo na temporada, o Timbu terá pela frente agora o primeiro grande teste do ano. Será a chance de mostrar que os números traduzem com fidelidade o poderio da equipe considerada como principal candidata ao título do Campeonato Pernambucano.

O jogo

Nem mesmo o esquema "ferrolho", com três zagueiros e o meio de campo (bastante) povoado com seis atletas, evitou que o Porto não sofresse com o melhor ataque do Brasil. Apesar de bem postado defensivamente e até se arriscando ao ataque em contra-ataques rápidos, o Gavião não teve êxito nem na frente nem muito menos na defesa. Depois de perder uma grande chance com Joelson, em uma grande defesa de Felipe, o Náutico não deu mais chances.

Trocando sob a regência do maestro Martinez, de volta ao time, o Timbu chegou ao gol aos 19 minutos. Após ótimo passe de Giovanni Augusto, Rogério sofreu pênalti e Elton abriu o placar. Aos 40 min, a zaga do Porto saiu jogando errado, Elton roubou a bola e passou para Rogério. O atacante driblou três e chutou com muita força, sem chance para Rodrigo Carvalho.

O segundo tempo começou exatamente como o primeiro, com o Gavião fechado na defesa e o Timbu trocando passes. Mais tranquilo pela vantagem no placar, o Náutico diminuiu o ritmo da partida e pouco finalizou. Tanto que o terceiro gol só saiu aos 35 minutos. Auremir fez grande jogada e deixou Elton de frente para o gol. O atacante driblou Rodrigo Carvalho e passou para Rogério, sem goleiro, fazer o segundo dele no jogo e sacramentar a vitória alvirrubra.

Ficha do jogo

Náutico 3
Felipe; Maranhão (Auremir), Alemão, Luis Eduardo e Douglas Santos; Marcos Paulo, Martinez (Josa) e Giovanni Augusto (Vinícius Pacheco); Rogério, Jones Carioca e Elton.
Técnico: Vágner Mancini.

Porto 0
Rodrigo Carvalho; Renato, Ari e Fabrício (Anderson); Juninho, Cosme, Vágner Rosa, Tiago Orobó (Mateus), Renan (Evandro) e Jackson; Joelson.
Técnico: Luiz Müller.

Local: estádio dos Aflitos. Árbitro: Ricardo Jorge. Assistente: Charles Rosa e Bruno Chaves. Gols: Elton e Rogério (2) (N). Cartões amarelos: Jones Carioca e Elton (N); Renan. Rodrigo Carvalho, Fabrício, Joelson, Ari, Tiago Orobó e Vágner Rosa (P). Público: 7.701. Renda: R$ 63.123,00.

Daniel Leal - Diario de Pernambuco

quarta-feira, 13 de março de 2013

Corisabbá surpreende e derrota Flamengo em Teresina


A sétima rodada do Campeonato Piauiense 2013 foi encerrada nesta segunda-feira com apenas uma partida. No estádio Lindolfo Monteiro em Teresina, o Corissabá surpreendeu o Flamengo e venceu pelo placar de 2x0.

Os gols da partida foram marcados por Cafezinho aos 6 minutos do segundo tempo e Jackson aos 48 minutos do segundo tempo.

Com a vitoria desta segunda-feira, a equipe do Corissabá assumiu a sexta colocação na tabela de classificação com 8 pontos, enquanto o Flamengo ocupa a terceira colocação com 11 pontos.

A próxima rodada do Campeonato Piauiense acontece no próximo final de semana com os seguintes jogos. No sábado (16), o Parnahyba enfrenta o Barras no estádio Mão Santa ás 17h, Em Teresina no estádio Lindolfo Monteiro, o River enfrenta o Corissabá ás 17h, no estádio Helvidio Nunes ás 20h o Picos enfrenta o Flamengo. No domingo a rodada será encerrada com a partida entre Piauí x 4 de Julho ás 17h no estádio Lindolfo Monteiro.

Resultados 7ª Rodada

4 de Julho 1x1 Barras

River 3x1 Parnahyba

Picos 0x2 Piauí

Flamango 0x2 Corissabá

Classificação

1º River 14 pontos

2º Parnahyba 11 pontos

3º Flamengo 11 pontos

4º Piauí 11 pontos

5º Barras 09 pontos

6º Corissabá 08 pontos

7º Picos 06 pontos

8º 4 de Julho 05 pontos

Publicado Por: Igor Leonardo/180 graus

segunda-feira, 11 de março de 2013

Yerien em Salgueiro - Dramalhão Nigeriano



O meia Yerien, 21 anos, do Salgueiro-PE, veio da Nigéria para o Brasil em 2008 movido pelo desejo de jogar no país. Deixou pra trás os pais e cinco irmãos, em Lagos, e viajou com um amigo da família, que vinha ao Brasil comprar mercadorias. Desembarcou em Fortaleza sem saber português. Acabou protagonista de uma história de folhetim, cujo clímax foi o gol da vitória do Salgueiro sobre o ASA — o primeiro da Copa do Nordeste.
O nigeriano viveu parte do tempo como imigrante ilegal. Já treinava nas divisões de base do Ceará quando o visto de turista venceu e precisou deixar o clube. “Cheguei a dormir na rua e a passar fome.” Contou com a ajuda de um homem que havia conhecido num treino do Ceará e de quem lembra apenas o primeiro nome: Eduardo. Foi ele quem o hospedou e cuidou do trâmite para o visto permanente. “Fui quatro vezes a Brasília para conseguir o visto.”
Com os documentos em dia, Yerien passou numa peneira do Palmeiras no Ceará. Passou pelo sub-20 e treinou três vezes entre os profissionais. Lá, acabou sendo alvo de uma brincadeira do chileno Valdívia. “Quando cheguei lá, tinha 18 anos. O Valdívia perguntou a minha idade e disse que eu era ‘gato’, mas na brincadeira”, diz Yerien.
Do Palmeiras, o nigeriano foi negociado no ano passado com o Treze, onde fez as primeiras partidas como profissional. Chamou a atenção do Salgueiro, no sertão pernambucano. Depois de estrear com um gol na Copa do Nordeste, Yerien quer cumprir outro sonho não muito difícil de adivinhar: seguir os passos do ídolo Jay-Jay Okocha e jogar pela seleção da Nigéria. Afinal, 2014 é logo aqui.
Placar
Foto: Paparazzi