terça-feira, 19 de março de 2013

Josué Teixeira é o novo técnico do Flamengo-PI



A diretoria do Esporte Clube Flamengo anunciou no final da tarde desta segunda-feira(18) o seu novo técnico, em substituição a Celso Teixeira, dispensado após a derrota para o Cori-Sabbá por 2 x 0, em pleno Estádio Lindolfo Monteiro.

Josué Teixeira tem 53 anos e larga experiência no futebol, com trabalhos em vários clubes. Dirigiu o Bonsucesso e a Portuguesa, tradicionais clubes do bloco dos pequenos da cidade do Rio de Janeiro. Foi auxiliar-técnico de Abel Braga e Osvaldo de Oliveira. Chegou a dirigir o Fluminense em grande vitória sobre o Cruzeiro por 3 x 2, no Mineirão, em 2006.

Esteve no Catar, sendo campeão nacional como auxiliar de Marcos Paquetá, e campeão da Liga B, também no Catar. Comandou o Nova Iguaçu, sendo vice-campeão da Segunda Divisão Carioca. No Sampaio Corrêa conquistou o título maranhense de 2011 e a Copa União. Esteve no Internacional de Porto Alegre, como auxiliar de Fernandão. Mais recentemente esteve trabalhando no Duque de Caxias.

Josué Teixeira é natural de Niterói, Estado do Rio. Professor licenciado em Educação Física, pós graduado em Educação Física e bacharel em Direito.

O técnico será apresentado ao elenco rubro-negro na tarde desta terça-feira(19) no Centro Esportivo da Universidade Federal do Piauí e imediatamente começará o trabalho para o clássico de domingo com o Piauí.

Josué Teixeira receberá o Flamengo sem vencer nos últimos 4 jogos (2 empates e 2 derrotas) e ocupando a terceira colocação.Praticamente os 8 clubes, uns menos e outros mais, estão na disputa das 4 vagas para as semifinais. A cada rodada temos novidades, como as reações do Cori-Sabbá e do 4 de Julho. O Flamengo jogará 3 partidas fora de Teresina, enfrentando concorrentes às vagas: Parnahyba, 4 de Julho e Cori-Sabbá.

Os próximos jogos da equipe rubro-negra:

. Flamengo x Piauí - em Teresina

. Flamengo x Parnahyba - em Parnaíba

. Flamengo x 4 de Julho - em Piripiri

. Flamengo x Barras - em Teresina

. Flamengo x River - em Teresina

. Flamengo x Cori-Sabbá - em Floriano 


Dídimo de Castro/Cidade Verde


segunda-feira, 18 de março de 2013

Luiz Muller deixa o comando do Porto e agradece a oportunidade


Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira, o treinador Luiz Muller, em comum acordo com a diretoria, encaminhou seu desligamento do comando técnico do Porto de Caruaru.

Com um retrospecto de nove jogos, duas vitórias, quatro empates e três derrotas, Luiz Muller assumiu a equipe no dia seis de fevereiro, quando o time se encontrava numa situação complicada na primeira fase da competição estadual.

Após a sua chegada, o Porto chegou a ficar seis jogos invicto, mas com três derrotas nas última três rodadas, contra Sport, Náutico e Pesqueira, o treinador optou em deixar o clube.

Na sua despedida, Luiz Muller agradeceu a oportunidade em uma carta aberta enviada à imprensa:

Confira a carta na íntegra:

Caros amigos,

Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira, juntamente com o presidente José Porfírio, foi decidido pelo meu desligamento do comando técnico do Porto para a sequência da temporada.

Gostaria de agradecer a confiança e a oportunidade que me foi proporcionada de tentar ajudar o Porto a reverter à situação complicada que o clube se encontrava quando aqui cheguei.

Tivemos um excelente início de trabalho, chegando a ficar com seis jogos de invencibilidade, porém, nas últimas rodadas, como a derrota de ontem dentro de casa para o Pesqueira, me fizeram repensar algumas situações, o que acabou culminando com a minha saída do clube.

Mesmo assim, continuarei na torcida para que o clube consiga dar a volta por cima e conquiste os seus objetivos traçados pela diretoria para a atual temporada.

Por fim, gostaria de agradecer aos torcedores, membros da imprensa, funcionários, atletas e demais companheiros da comissão técnica, que me acolheram muito bem e me ajudaram bastante neste período em que estive no comando técnico da equipe.

Um forte abraço,

Luiz Muller

Clássico Sergipano sub-18 termina empatado


Antes do 'Clássico Maior' do futebol sergipano, a bola rolou neste domingo para as equipes sub-18 de Sergipe e Confiança no Batistão. No clássico júnior, os arquirrivais da capital empataram em 1 a 1.

O Dragãozinho abriu o placar, mas Marques empatou de pênalti. O Confiança ainda teve a chance de sair vencedor, porém Lucas perdeu um pênalti a favor do time azul.

Com o resultado, o Confiança continua na liderança do torneio júnior com 19 pontos. A equipe está invicta no campeonato com 6 vitórias e 1 empate. Já o Sergipe está em terceiro lugar com 15 pontos.

GE

domingo, 17 de março de 2013

Sport vence Náutico na Ilha

Helder Tavares/DP/D.A Press
Leão saiu atrás, mas buscou o resultado na Ilha do Retiro, com gols de Hugo e Felipe Azevedo

O fraco público presente na Ilha do Retiro refletia o sentimento do torcedor do Sport com o seu time. Além disso, o bom momento do Náutico indicava um cenário favorável para a quebra do jejum que já durava nove anos. Mas em seus domínios, o Leão mostrou força e ampliou a invencibilidade em casa no Clássico dos Clássicos para 20 partidas. Com uma postura bem diferente daquela que vinha apresentando, os rubro-negros souberam impôr sua estratégia, renovando a esperança leonina de que a crise pode ser superada.

Nem parecia que o Sport vivia um momento tão delicado. Bem distriubídos em campo, os rubro-negros fizeram prevalecer o mando de campo e tomaram a iniciativa de agredir seus adversários. Com esta postura, o Leão chegou em duas boas oportunidades antes dos dez minutos de partida. Aos sete, Cicinho chegou à linha de fundo e cruzou perto da linha da pequena área. Traído pelo efeito, Felipe viu a bola chegar em Rithely, que mergulhou de peito. O gol não saiu porque o camisa 1 timbu se recuperou com uma bela defesa.

O Náutico, por sua vez, não conseguia imprimir o ritmo que marcou suas apresentações até aqui. Mas a dificuldade em trabalhar as jogadas entre as intemediárias não atrapalhou a grande fase de seu ataque. Numa reposição errada do Leão, as 19, Vinícius Pacheco serviu Rogério, que girou e arriscou de fora da área. Mal posicionado, Magrão aceitou o chute alto e o Timbu saiu na frente.

A alteração no placar não fez muita diferença no cenário do jogo. O Sport seguiu valorizando a posse de bola, mas sem objetividade. Suas melhores chances surgiam de jogadas de bola parada. Até que numa delas, aos 33, o Leão conseguiu o empate num lance protagonizado por dois atletas que vivem momentos conturbados na Ilha do Retiro. Cicinho cobrou escanteio no primeiro pau, Felipe saiu errado e no rebote, Hugo bateu de primeira, estufando a rede. Na comemoração, o meia pediu desculpas à torcida, além de fazer uma referência ao aniversário do filho com uma chupeta. Antes do fim do primeiro tempo, Magrão ainda praticou uma bela defesa, após cobrança de falta de Rogério, que desviou na barreira.

O início do segundo tempo foi marcado por um confronto mais equilibrado no meio de campo. Com as marcações mais ajustadas, entretanto, havia pouco risco dos dois lados. A primeira boa chance foi rubro-negra quando, aos 15 minutos, Felipe Azevedo tabelou com Cicinho, livrou-se de um marcador e mandou uma bomba no travessão de Felipe. O atacante ainda desperdiçaria uma boa oportunidade, quando foi servido por Hugo dentro da área. Depois de girar, chutou prensado com a marcação e a bola se perdeu pela linha de fundo.

A insistência seria premiada aos 37. Num momento de muita displicência, o volante Elicarlos - que vinha alcançando um bom desempenho - perdeu a disputa com Lucas Lima, que acabara de entrar na vaga de Hugo. O meia invadiu a grande área próximo à linha de fundo e cruzou rasteiro. De carrinho, Felipe Azevedo empurrou para decretar a virada do Leão.

Sport
Magrão; Maurício, Tobi e Gabriel; Cicinho (Moacir), Fábio Bahia, Rithely, Hugo (Lucas Lima) e Reinaldo; Felipe Azevedo e Roger (Mateus Lima). Técnico: Sérgio Guedes.

Náutico
Felipe; Auremir, Luís Eduardo (Alemão), Alison e Douglas Santos; Elicarlos, Martinez (Rodrigo Souto), Marcos Paulo e Vinícius Pacheco (Marcos Vinícius); Rogério e Elton. Técnico: Vágner Mancini.

Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Sandro Meira Ricci.
Assistentes: Jossemmar Diniz e Ricardo Chianca.
Gols: Hugo, Felipe Azevedo (S) e Rogério (N).
Cartões amarelos: Cicinho, Rithely, Tob, Maurício (S), Elton, Alison e Rogério (N)
Público: 18.670

Super Esportes






Campinense 2 x 0 ASA - Os Gols

Esporte Interativo

Olha o Campeão aí...Campinense!!!



Humildade, surpresa, classe, estilo, objetividade. Palavras que resumem a campanha do Campinense ao longo dos 12 jogos da Copa do Nordeste de 2013. O time que começou desacretidado, como se fosse apenas mais um na competição, que contava com grandes equipes do futebol nordestino, como Sport, Bahia, Santa Cruz, Ceará, Vitória e Fortaleza. Todas grandes potências que contavam com nomes de peso no elenco.

Um modesto time de Campina Grande não seria incômodo para os demais. Ainda mais depois de empatar na estreia com o Feirense, a equipe não chamava muita atenção. Contudo, o cartão de visitas veio apenas na segunda rodada. Diante do Santa Cruz, a Raposa finalmente mostrou suas garras e goleou por 3 a 0. Daí em diante, o Campinense passou a ser visto com outros olhos, partida após partida foi encantando os espectadores e fazendo o Brasil conhecer quem era o verdadeiro "Milan da Paraíba", apelido carinhoso dado pelos torcedores ao time que também veste o vermelho, Preto e Branco.

O que mais impressionava não eram apenas as vitórias do Campinense, mas sim a forma com que o time atuava nas partidas. Um toque de bola refinado, jogando com calma mesmo quando atrás no placar, com uma postura de time grande atuando em casa ou nos domínios do adversário. Não à toa, a Raposa foi o time que teve o maior número de passes corretos na competição. Gradativamente, torcida, repórteres, comentaristas e amantes do bom futebol iam se curvando ao estilo de jogo da Raposa.

No meio disso, uma figura sorridente e muito simpática se destacou. Com seu estilo de professor, sempre com palavras sábias, análises frias e muita experiência na hora de armar o time, o técnico Oliveira Canindé roubou os holofotes. O comandante tinha o time nas mãos como Josep Guardiola o fizera com o Barcelona, o respeito dos jogadores, como "Sir" Alex Ferguson no Manchester United, uma confiança de José Mourinho, no Real Madrid, e uma humildade sem igual. A Copa do Nordeste possibilitou que o Brasil conhecesse o treinador.

O Campinense também foi responsável pelo momento mais emocionante da Copa do Nordeste. Após conquistar a classificação para a final da competição, tendo derrotado o Fortaleza, o meia Bismarck mandou um recado para o pai, emocionado, afirmando que ajudaria a reformar a casa dele. As palavras do jogador fez todos que viram refletir e mostrou que no futebol não existem apenas atletas que se preocupam apenas com carros importados, roupas de marca e mídia, fez entender que muitos no futebol ainda sabem o verdadeiro valor do dinheiro e jogam "por um prato de comida" a cada partida.

A torcida foi um show à parte. O Amigão, sempre lotado, passou a ser temido pelos adversários e o orgulho do torcedor paraibano aumentava a cada jogo. A força dentro de casa era tão grande que o Campinense não levou nenhum gol jogando em seus domínios. Isso mesmo, nenhum. A força das arquibancadas transformou o estádio de Campina Grande em um aliado, onde o rival se sentia jogando não contra 12, mas contra 20 mil.

Seis estrelas estampam a camisa do Campinense, representando o hexacampeonato consecutivo da equipe conquistado entre os anos de 1960 e 1965. Com uma campanha devastadora como a apresentada e a conquista de seu título mais importante, demonstrando a supremacia no maior regional do país, a Raposa pode bordar uma estrela a cima das demais fazendo com que seja reconhecida por todos os gramados que pisar no país afora, demonstrando: sou o campeão da Copa do Nordeste! Hoje, todo o Brasil conhece o time paraibano, que diz, em alto e bom som: "Prazer, Campinense Clube".

JOGOS-CHAVE

Campinense 3 x 0 Santa Cruz (2ª Rodada)
CRB 1 x 2 Campinense (4ª Rodada)
Sport 2 x 2 Campinense (Quartas de final)
Campinense 1 x 0 Fortaleza (Semifinal)
ASA 1 x 2 Campinense (Final)
Campinense 2 x 0 ASA (Final)


PRINCIPAL JOGADOR: BISMARCK

O meia foi o cérebro da equipe, sendo o principal responsável pela criação das jogadas no meio de campo. Bismarck tinha a função de encontrar espaços na defesa adversária e deixar o caminho livre para Zé Paulo balançar as redes nas partidas. O verdadeiro camisa 10 que foi o maestro da equipe ao longo da Copa do Nordeste.

Esporte Interativo

Vovô vence o primeiro Clássico-Rei da Arena Castelão


O Ceará, comandado por Dimas Filgueiras, jogou melhor e com gols de Rafael Vaz e Magno Alves bateu o Fortaleza por 2 a 0 neste domingo (17), no primeiro Clássico-Rei realizado na Arena Castelão.

O primeiro tempo foi bastante disputado com ambas as equipes marcando forte e errando muitos passes. Foi justamente em um erro que surgiu a primeira oportunidade do jogo. João Carlos falhou na saída de bola, mas Magno Alves, afobado, finalizou mal e aliviou a barra do arqueiro do Leão.

Com poucas jogadas trabalhadas, o Ceará assustou na bola parada. Aos 20 minutos da etapa inicial, Ricardinho cobrou falta em direção a meta tricolor e por pouco não conseguiu abrir o placar. O Fortaleza devolveu na mesma moeda. Aos 23 minutos, Assisinho levantou na área, mas Fabrício cabeceou para fora.

Aos 31 minutos do primeiro tempo, Diogo Orlando achou Pingo, que passou pela marcação, mas finalizou sem direção. O Vovô começava a criar boas chances. Aos 33, o mesmo Pingo, que já tinha desperdiçado boa oportunidade, fez belo passe para Vicente que, de frente com João Carlos, se precipitou e chutou para fora.

O Ceará conseguiu abrir o placar aos 35 minutos da primeira etapa. Após um erro na saída de bola do Leão, Vicente acionou Rafael Vaz.  O zagueiro bateu com categoria, a bola teve um leve desvio na zaga e morreu no fundo das redes.

Aos 42 minutos, Assisinho arriscou de longe e o tiro passou raspando o travessão defendido por Fernando Henrique. Apenas um minuto depois, mais uma boa tentativa do camisa 11 tricolor, que recebeu na grande área e bateu para gol, forçando o arqueiro a fazer boa defesa.

Segundo tempo: vitória alvinegra confirmada

Aos quatro minutos do segundo tempo, Esley saiu jogando errado e deu um verdadeiro presente para Magno Alves, que arrancou em direção ao ataque, mas não conseguiu finalizar.

Com Edinho no lugar de João Henrique, o Fortaleza partiu para cima buscando o empate. Aos seis minutos, Assisinho sofreu falta de Potiguar. O próprio atacante cobrou, mas Fernando Henrique afastou o perigo.

O Vovô ampliou o marcador aos 14 minutos do segundo tempo. Luiz Henrique sofreu falta na intermediária. Ricardinho cobrou com violência, João Carlos rebateu. No rebote, Gabriel conseguiu evitar a tentativa de Eric, mas a bola chegou até Magno Alves, que arrematou para as redes.

Em desvantagem no marcador, o Fortaleza foi para cima do Vovô, mas sem conseguir criar muitas jogadas trabalhadas e apostando nas bolas paradas. Aos 29 minutos, Guto cobrou falta e Fernando Henrique mandou para escanteio. Em seguida, o goleiro alvinegro falhou na cobrança do córner, porém, Assisinho, mesmo livre, não aproveitou.

Para segurar o resultado, o técnico interino do Ceará, Dimas Filgueiras, sacou o meia Ricardinho e promoveu a entrada do volante Régis. Por sua vez,  o Tricolor de Aço seguia tentando marcar o primeiro gol, mas as tentativas eram neutralizadas pela defesa do Vovô. Final de partida na Arena Castelão: vitória do Ceará por 2 a 0 no primeiro Clássico-Rei do novo estádio.

Jangadeiro

Bahia empata em Vitória da Conquista


 A primeira rodada da Segunda Fase do Campeonato Baiano acabou neste domingo. E no clássico genérico BA-VI, o Bahia fez sua estreia na competição e não passou de um empate por 1 a 1 contra o Vitória da Conquista, no Estádio Lomanto Júnior. Azevedo marcou para os donos da casa. Enquanto que Fahel fez para os visitantes.

Já no Estádio Jóia da Princesa, o Bahia de Feira também empatou com o Juazeiro, este por 0 a 0. O Juazeiro fica com a segunda colocação do Grupo 1. Enquanto o Bahia de Feira é o lanterna da outra chave.
Enquanto que no Estádio Adauto Moraes, o Juazeirense venceu o Feirense PR 1 a 0. Agora, o time do norte do estado fica com a vice-liderança do Grupo 2, com os mesmos três pontos do Vitória.

Regulamento Segunda fase

Na segunda fase da competição, oito times vão disputar, junto com os cinco classificados da fase anterior. Com a presença de Vitória e Bahia, esta fase vai ser realizada entre os dias 16 de março e 21 de abril. Os oito times serão divididos em dois grupos.

Bahia, Feirense, o segundo e quarto colocados da fase de classificação estarão no Grupo 2. Já o Vitória, o primeiro, terceiro e quinto melhores da primeira fase, vão fazer parte do Grupo 3. E nesta fase, os jogos serão de ida e volta, com duelos de grupo contra grupo. Com essa nova fórmula, vai haver dois clássicos Ba-Vi nesta fase.

Confira os jogos da primeira rodada:

Sábado
Vitória 3 x 1 Botafogo

Domingo
Vitória da Conquista 1 x 1 Bahia
Juazeirense 1 x 0 Feirense
Bahia de Feira 0 x 0 Juazeiro

FI

Sergipe e Confiança ficam no empate



No Estádio Batistão, em Aracaju , Sergipe e Confiança empatarem por 2 a 2, no clássico da oitava rodada do Campeonato Sergipano. Carlinhos e Peixinho marcaram para Sergipe. Enquanto que André e Diego Neves fizeram para o Confiança. O empate deixou os dois times, com 15 pontos. O primeiro é o segundo e o segundo é terceiro.

No mesmo horário, Itabaiana e Socorrense jogaram no Estádio Presidente Médice, em Itabaiana. E com o gol de Jorginho, os donos perderam por 1 a 0. Os visitantes, com 15 pontos é o líder da competição.
O Estanciano recebeu o Olímpico, no Estádio Francão, em Estância. E os mandantes perderam mais uma e ainda estão na zona da degola. Já o time visitante é o sexto, com 11 pontos ganhos.
América e Boca Júnior jogaram, no Estádio Vavazão, em Maruim. E o empate por 0 a 0, deixou o América na quinta colocação, com 11 pontos. Enquanto que o Boca, na penúltima colocação, soma sete pontos.

Enfim, Lagarto e River se enfrentaram no Estádio Paulo Barreto, em Lagarto. E o River goleou seu adversário por 3 a 0. Magno fez dois e Lelê marcou um.

Confira os jogos da oitava rodada:

Domingo
16 horas
Lagarto 0 x 3 River Plate
Estanciano 0 x 1 Olímpico
Itabaiana 0 x 1 Socorrense
Sergipe 2 x 2 Confiança
América 0 x 0 Boca Júnior

FI
Foto: Filipe Araújo/FSF

CSA e CRB empatam no "Rei Pelé


CSA e CRB empataram por 1 a 1, neste domingo, no Estádio Rei Pelé, pela terceira rodada do hexagonal do Campeonato Alagoano. Kel marcou para o time azulino. Já Denílson marcou para os visitantes.

Com cinco pontos, o CRB ainda é líder do hexagonal. Enquanto que o Azulão fica com a vice-liderança, com quatro pontos. Com dois gols de Cal e um de Ila, o CSE venceu o Sport Atalaia por 3 a 1, no Estádio Luiz Pontes. Anderson Canhão fez o gol de honra para o Sport.
No outro jogo, o Comercial enfrentou o União e saiu com uma vitória por 2 a 0, no Estádio Teotônio Vilela. Rony e Katê marcaram os gols desta partida.

O Comercial é o líder isolado do Torneio da Morte, com sete pontos. O CSE, com seis é o vice-líder. O União fica com a quarta colocação, com três pontos. O Sport Atalaia, com apenas um ponto é o lanterna

O Corinthians finalmente conseguiu sua primeira vitória no hexagonal do Alagoano. Jogando no Estádio Nelson Peixoto Feijó, na tarde do último sábado, o Timão genérico venceu o Murici, por 2 a 0.

Confira os jogos do Campeonato Alagoano:

Hexagonal
Sábado
Corinthians 2 x 0 Murici

Domingo
CSA 1 x 1 CRB

03/04
CEO x ASA
Torneio da Morte

Domingo
Comercial 2 x 0 União
Sport Atalaia 1 x 3 CSE

FI

Vitória estreia vencendo no BA 2013


Após quase um mês sem disputar partidas oficiais, o Vitória estreou no Campeonato Baiano de 2013 com o pé direito, neste sábado, 16, diante de sua torcida. Em tarde inspirada do atacante Marcelo Nicácio, o Leão derrotou o Botafogo-BA por 3 a 1, no estádio do Barradão, em Salvador, em jogo válido pela primeira rodada da segunda fase. Superior ao time adversário, o Leão soube aproveitar as boas oportunidades que teve durante a partida e garantiu a vitória já no primeiro tempo.

O que faltou de objetividade ao Botafogo, sobrou para o Leão, que teve todos os gols marcados por Nicácio. No primeiro, aos 12 minutos, após excelente passe de Luís Alberto, o atacante teve tranquilidade para tirar do goleiro e mandar no canto. O segundo gol foi marcado de pênalti, aos 22, e o terceiro, de cabeça, após cruzamento de Nino, aos 33. O time adversário diminuiu, também na primeira etapa da partida, após cobrança de pênalti de William Henrique.

Com o triunfo, o Leão assume a liderança do Grupo 2, com três pontos. Além do Vitória, Bahia de Feira, Juazeirense e Vitória da Conquista também integram a chave. Nessa fase do campeonato, as quatro equipes do Grupo 2 enfrentam as quatro do grupo 1, em jogos de ida e volta. Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para a semifinal.


Vitória 3 x 1 Botafogo-BA - 1ª rodada da 2ª fase do Campeonato Baiano

Local: Estádio de Barradão (Salvador).
Data: sábado, 16 de março de 2013.
Horário: 16 horas.
Árbitro: Marielson Alves Silva
Auxiliares: José Raimundo Dias Hora e Dijalma Silva Ferreira Júnior.
Gols: Marcelo Nicácio (12, 22 e 33 minutos do primeiro tempo) para o Vitória e William Henrique (aos 43 minutos do primeiro tempo) para o Botafogo-BA
Público: 3.711 pessoas
Renda: R$ 34 mil
Vitória: Deola, Nino Paraíba, Gabriel Paulista, Cardoso e Mansur; Michel (Gabriel), Luís Alberto, Escudero e Renato Cajá (Cacéres); Maxi Biancucchi (Alan Pinheiro) e Marcelo Nicácio. Técnico: Caio Júnior.
Botafogo-BA: Victon; Dimas, Xavier e Gusmão; Jéferson (Luis Adalton), Totinga, Jean Carlos (Iuri), Ramon e William Henrique (Diego); Vitinho e Keno. Técnico: Ricardo Silva. Técnico: Ricardo Silva.

A Tarde